Formandos do IUE realçam importância do curso em assuntos eleitorais e cidadania promovido pela CNE

Cidade da Praia, 25 Ago (Inforpress) – Os formandos do Instituto Universitário de Educação (IUE) realçaram hoje, na Cidade da Praia, a importância da acção de formação em assuntos eleitorais e cidadania promovida pela Comissão Nacional das Eleições (CNE).

O formando Carlos de Pina afirmou que a formação, com duração de cinco dias, permitiu que os futuros professores estejam mais aptos em incentivar os cidadãos a exercerem o seu direito de voto nas diferentes eleições em Cabo Verde.

Durante a acção de formação, cada um dos participantes passou a conhecer melhor a importância da participação dos cidadãos no processo eleitoral”, por forma a escolherem os dirigentes do país, sublinhou Carlos de Pina, que já foi presidente de mesa da assembleia de voto.

“Já tinha alguns conhecimentos sobre o tema do curso, mas com este curso sinto-me mais preparado, até para informar as pessoas sobre a importância da sua participação no processo eleitoral no país”, salientou Carlos de Pina.

Sobre a importância do curso, Carlos de Pina disse ainda que com os conhecimentos adquiridos poderá colaborar com a CNE e outras instituições durante os processos eleitorais em Cabo Verde.

Outra formanda, Melissa Fernandes, declarou estarem criadas condições para a difusão de informações sobre educação cívica eleitoral.

“Estamos preparados para divulgar informações sobre os processos eleitorais para os cidadãos cabo-verdianos, no quadro das próximas eleições”, adiantou.

“Com esta acção de formação passei a conhecer melhor o papel da Comissão Nacional das Eleições (CNE), o Código Eleitoral e outras normas relacionadas com os processos eleitorais no país”, frisou Melissa Fernandes.

A futura professora realçou que a cidadania versa no exercício de direitos e deveres cívicos, políticos e sociais para se realizar um bem comum, daí a importância da participação dos cidadãos no processo eleitoral.

“Nesta acção de formação, tomei conhecimento de várias leis sobre o processo eleitoral no país, mas que na prática não são aplicadas. Por exemplo, existe a lei que proíbe a campanha à “boca d`urna”, mas as pessoas continuam a faze-la”, afirmou Melissa Fernandes.

Esta capacitação incluiu a vertente da ética e deontologia, os princípios que devem nortear o tratamento das eleições em Cabo Verde e também a essência e a importância das eleições para a democracia.

Os formandos aprimoraram também técnicas e habilidades para transmitir aos cidadãos como exercer o direito de voto, a definição do processo eleitoral, a conquista da cidadania como fonte da legitimidade no cumprimento do acto eleitoral, entre outros assuntos.

No final do curso, os formandos receberam um certificado que lhes permitem colaborar com a CNE e outras instituições durante o processo eleitoral no país.

JL/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos