Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Formação em tecnologia solar fotovoltaica permitiu mostrar que CERMI é um centro capaz de formar com qualidade – presidente

Cidade da Praia, 22 Mar (Inforpress) – O presidente do conselho da administração do CERMI afirmou hoje que a formação em tecnologia solar fotovoltaica permitiu dar passos significativos e mostrar que a instituição é um centro capaz de formar profissionais com qualidade.

Luís Teixeira falava em declarações à Inforpress, à margem do acto de encerramento da formação em tecnologia solar fotovoltaica, um acção de capacitação que enquadra-se no projeto «Reforço da Ancoragem Regional do CERMI» financiado pela União Europeia e implementado pela Agência Luxemburguesa de Cooperação ao Desenvolvimento, LuxDev, realizada na Cidade da Praia.

Durante duas semanas, realçou o presidente do Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI), os 16 formandos provenientes da Nigéria, Guiné-Bissau, Gana, Gambia, Serra Leoa e Libéria e contou com a participação de Cabo Verde, puderam trocar experiências e adquirir conhecimentos nessa área.

“Houve uma troca de experiencias, partilha de conhecimento de cada um desses países na área das energias renováveis, beberam um bocado da nossa experiência, aproveitamos para mostrar a nossa experiência nesse domínio. Acredito que conseguimos dar passos significativos com esta acção de formação”, afirmou.

Conforme disse, os objectivos delineados com a formação foram conseguidos, salientando, no entanto, que a iniciativa de apoio ao o CERMI no seu processo de transformação do Centro de Competência de excelência, uma das finalidades prevista com esta formação, será alcançada com tempo, isto, porque elucidou, o processo de instalação do centro de competências está em curso.

Luís Teixeira apontou, por outro lado, a questão da regionalização do CERMI e a sua transformação no centro regional como o maior desafio da instituição, isto porque, justificou, o centro tem um potencial que ultrapassa a sua abrangência arquipelágica.

“O CERMI é um centro que foi projectado para Cabo Verde, mas ser só do nosso país é estar a subaproveitar o papel e a importância desse centro. Para potenciar todo este investimento temos que potenciar o CERMI, mantendo-o como uma instituição cabo-verdiana, mas com vocação regional não só de CEDAO mas também de países de língua portuguesa”, defendeu.

O Projecto “Reforço da Ancoragem Regional do CERMI” (CVE/881) financiado no montante de 2 M de EUR, é parte integrante de um programa mais vasto de suporte à Região Oeste Africana financiado no âmbito do 11º Fundo Europeu para o Desenvolvimento (FED), «Melhoria da Governança do Sector Energético da Africa Ocidental» (AGoSE-AO).

O objectivo específico do Programa AGoSE-AO é o de contribuir para a melhoria da governança do setor energético da região, permitindo assim aos estados membros atingirem progressivamente os três grandes objectivos de desenvolvimento sustentável do setor energético.

CM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos