Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fogo: Resolução do problema de água passa pelo reservatório de maior capacidade e intervenção na conduta – presidente

São Filipe, 29 Mai (Inforpress) – A resolução da problemática da produção e distribuição de água para agricultura no município dos Mosteiros passa pela construção de um reservatório de maior capacidade e intervenção na conduta de distribuição, admitiu o presidente da câmara.

Carlos Fernandinho Teixeira que reuniu-se esta quinta-feira com os horticultores para analisar a situação, auscultar os horticultores sobre esta questão e esclarecer as situações relacionadas com a gestão de água para rega nos Mosteiros, em entrevista à Radio e Televisão Cabo-verdiana, apontou algumas medidas para ultrapassar a situação.

Este apontou que a câmara assumiu, há menos de um ano, no quadro da transferência das competências dos sectores de agricultura e ambiente, a gestão de água para agricultura, indicando que as infra-estruturas hidráulicas herdadas não estão dimensionadas pela quantidade de parcelas existentes nos Mosteiros.

Há pouco mais de uma década, os Mosteiros contava com meia dúzia de horticultores mas, actualmente, este número aproxima-se de uma centena, referiu o autarca dos Mosteiros, observando que o fomento da horticultura neste município é o resultado da dinâmica introduzida e com sinais claros da ocorrência de um “boom” em termos de horticultura.

Com isso, explicou, surgiu a necessidade de melhorar as infraestruturas hidráulicas, o que passa pela construção de um reservatório de maior capacidade, superior a 600 metros cúbicos de água e cuja localização terá de ser numa quota mais elevada para permitir o abastecimento, por gravidade, a todas as plataformas do litoral do município.

Outra medida passará pela intervenção nas condutas, nomeadamente com substituição das tubagens para outras de maior dimensão e com condições de garantir o abastecimento de água às parcelas irrigadas.

O autarca reconhece, no entanto, que a câmara sozinha não tem capacidade, nem financeira e nem técnica para realizar estes investimentos e está a trabalhar com outros parceiros da autarquia, nomeadamente o Governo para a sua materialização.

JR/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos