Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Projecto Vitó já identificou mais de 700 ninhos de desovas de tartarugas nos Ilhéus Rombos e mais de 300 no Fogo

São Filipe, 21 Jul (Inforpress) – A associação de conservação e uso sustentável dos recursos, Projecto Vitó, registou mais de mil ninhos de desovas de tartarugas marinhas na ilha do Fogo e nos Ilhéus Rombos.

A coordenadora do projecto conservação das tartarugas marinhas na ilha do Fogo e nos Ilhéus Rombos do Projecto Vitó, Carla Lopes, ao fazer o balanço do primeiro mês da campanha de conservação de tartarugas nesta região, disse que até este momento na ilha do Fogo foram contabilizados 310 ninhos e 438 rastos e nos Ilhéus Rombos 740 ninhos e 1.868 rastos.

A nível da ilha do Fogo, nas 16 praias de desovas de tartarugas marinhas, a maior parte dos ninhos e rastos estão nas praias do município de São Filipe, com um total de 219 ninhos e 274 rastos, seguido dos Mosteiros, com 58 ninhos e 111 rastos, e Santa Catarina do Fogo, com 33 ninhos e 53 rastos.

Carla Lopes disse que para além dos trabalhos de monitorização, outras actividades têm sido realizadas como a identificação de todas as praias desovas de tartarugas na ilha do Fogo, com colocação de placas nas 16 praias.

A equipa de conservação das tartarugas marinhas começou a campanha de sensibilização nas comunidades, tendo realizado já duas sessões, sendo uma na localidade de Atalaia (Mosteiros) e outra na de Ponta Verde (São Filipe).

Igualmente, a equipa começou uma campanha de sensibilização nas praias balneares, dado que se está na época de desova e ao mesmo tempo na época balnear e muitas que frequentam as praias que têm muitos ninhos, não sabem quais as medidas exactas que devem tomar e a equipa aproveita esta campanha para sensibilizar as pessoas sobre as medidas e procedimentos a serem adoptados.

Carla Lopes disse ainda que a equipa de “task-force” foi activada e já começou a efectuar visitas nocturnas, sobretudo às praias onde já aconteceram algumas capturas e que não têm guardas.

Até este momento, a equipa de coordenação já identificou a captura e abate de oito tartarugas nas praias da ilha do Fogo, sendo quatro nos Mosteiros, dois em São Filipe, um na zona de Cova Figueira e outro na zona de Salinas, sendo que nos Mosteiros foi possível identificar os actores que foram submetidos ao julgamento no tribunal de comarca dos Mosteiros há uma semana.

A campanha de preservação conta com um total de 23 guardas que foram recrutados e contratados, dos quais sete são assegurados pelas câmaras municipais da ilha do Fogo, e todos antes de iniciar as actividades passaram por uma acção de capacitação de três dias.

Na próxima sexta-feira, a coordenação do projecto de conservação e preservação das tartarugas tem agendado o primeiro encontro mensal para avaliação do trabalho dos guardas, mas também vai dar seguimento a campanha de sensibilização, cobrindo todas as zonas piscatórias da ilha.

A equipa agendou ainda para este fim-de-semana encontro com a comunidade de S.Jorge e sensibilização das pessoas que frequentam a praia balnear de Salinas que tem sido muito frequentado.

JR/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos