Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fogo: Projecto Pessoas promoveu primeiro encontro do grupo municipal das mulheres

São Filipe, 26 Fev (Inforpress) – O Projecto Pessoas, financiado pela União Europeia e implementado nas ilhas do Fogo e Brava pela Organização Não-governamental Italiana Cospe promoveu quinta-feira, 25, o primeiro encontro do grupo municipal das mulheres de São Filipe.

O encontro, segundo a coordenadora local do projecto, Elizandra Lopes, tinha como objectivo apresentar o projecto e algumas propostas para a realização das actividades, assim como a recolha e partilha de algumas informações e desafios enfrentados por serem mulheres.

O primeiro encontro do grupo municipal das mulheres de São Filipe contou com a participação de 15 mulheres que debateram alguns conceitos ligados à importância da participação e o compromisso com as próprias comunidades.

O Projecto Pessoas conta com o financiamento da União Europeia, implementado pela Cospe, em parceria com Laço Branco, Vidativa, Comissão Regional de Parceiros (CRP) do Fogo e da Brava, e tem como objectivo construir quatro grupos municipais de mulheres, sendo três na ilha do Fogo e um na Brava, com cerca de 15 a 25 mulheres cada.

Com os grupos de mulheres, o projecto vai fazer um percurso em três fases, nomeadamente a formação sobre várias temáticas para aprofundar conhecimento, diagnóstico participativo para avaliar as necessidades e os desafios para mulheres nas comunidades e elaboração de propostas para abordar as necessidades identificadas.

O encontro com os grupos municipais de mulheres passa a ser realizado mensalmente nos três municípios da ilha do Fogo e na ilha Brava.

Este projecto tem como objectivo geral reforçar a sociedade civil das duas ilhas na promoção da participação dos jovens, mulheres e menores no respeito dos direitos, através do protagonismo de mulheres, menores e jovens na sociedade civil para a transformação social e a democratização nos processos socioeconómicos e políticos.

Tem como público-alvo os estudantes das cinco escolas secundárias das duas ilhas, 75 professores, cerca de 50 jovens em regime de reclusão na cadeia regional do Fogo, 40 familiares de reclusos, 15 ex-reclusos, uma dezena de guardas prisionais, duas centenas de mulheres, das quais 100 activas pelos direitos das mulheres e outras seleccionadas e envolvidas para assegurar a cobertura territorial e sectorial.

JR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos