Fogo: Problemas com requalificação do centro histórico ultrapassados e a obra vai avançar – ministra 

São Filipe, 01 Dez (Inforpress) – A obra de requalificação do centro histórico de São Filipe vai avançar após o Ministério das Infra-estruturas ter aprovado a segunda calçada experimental realizada pela empresa que vai executar o projecto.

A ministra das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, disse que a visita à zona baixa da cidade, ao centro histórico, foi para verificar a calçada experimental, a segunda, já que quanto à primeira houve uma reivindicação das pessoas que defendem uma calçada à base de paralelos.

“Já temos a noção clara e vamos avançar com os trabalhos”, disse a ministra Eunice Silva, indicando que a obra devia estar mais avançada mas confirmou que a empresa terá de demolir a calçada de uma rua, que gerou alguma reclamação.

Eunice Silva indicou que esta visita permitiu consensualizar com a câmara de que a requalificação do centro histórico não será à base de pedra de lascas, mas com paralelos, razão porque houve a necessidade de paragem para analisar a primeira calçada, que vais ser demolida, e fazer uma nova experiência que foi aprovada com esta visita, sublinhando que alguns alinhamentos devem ser feitos nos próximos troços.

O atraso deve-se à situação da pandemia, mas também devido a esta situação da definição do tipo de material para a calçada que está ultrapassada e por isso a empresa vai tomar o ritmo e seguir em frente.

A requalificação do Centro Histórico de São Filipe, cujo valor de investimento ultrapassa os 66 mil contos, vai abranger uma área de 40 mil metros quadrados e, além da via, prevê também intervenção nos passeios, ficando a câmara de propor algumas melhorias, como os sinais no pavimento.

Quanto à requalificação do centro urbano da cidade de Cova Figueira, sede do município de Santa Catarina, financiado pelo PRRA num valor superior a nove mil contos, Eunice Silva reconheceu que já avançou, mas que está com um estrangulamento que deve ser ultrapassado nos próximos dias.

Segundo a ministra já foi acertado com a câmara a forma de resolver o problema, que é uma construção no meio da cidade que, em princípio, é para ser demolida, mas que até agora não se conseguiu ultrapassar o problema dos herdeiros.

A câmara, no dizer da ministra, já solicitou a comparência dos herdeiros para resolver o problema, e, por isso, conta ter concluída a obra de requalificação da cidade de Cova Figueira no início de 2021.

Eunice Silva mostrou-se satisfeita com mais esta visita de rotina às obras que o Governo tem em curso na ilha do Fogo, num total de seis, sendo cinco do Ministério das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação e uma do Ministério da Justiça.

JR/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos