Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fogo: PM promete reforçar a “boa parceria” existente entre as câmaras da ilha e o Governo

São Filipe, 12 Jul (Inforpress) – O primeiro-ministro (PM), Ulisses Correia e Silva, prometeu hoje, em São Filipe, reforçar a “boa parceria” que existe entre as câmaras da ilha do Fogo e o Governo sempre no sentido de que a ambição deve ser estratégica.

O chefe do Governo, que presidiu a sessão especial comemorativa dos 99 anos da elevação de São Filipe à categoria de cidade, saudou a cidade pelo seu 99º aniversário, salientando que este número, por si só, justifica a sua presença no acto, lembrando que a cidade representa uma história, um percurso e ambição de prosseguir com o seu desenvolvimento.

“Queremos que esta cidade, que tem história, cultura e ilustres personalidades, seja cada vez mais atractiva, empreendedora e com cidadania activa”, disse o primeiro-ministro que prometeu estar presente no próximo ano, pela ocasião da comemoração dos 100 anos da sua elevação.

No quadro do programa comemorativo dos 99 anos da elevação de São Filipe à categoria de cidade foi celebrado um protocolo entre a associação dos municípios do Fogo/Brava, Governo e a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) para a extensão do ensino superior e apresentado o projecto de remodelação e ampliação do terminal do aeródromo de São Filipe.

A assinatura do protocolo foi considerada pelo primeiro-ministro como um “momento especial” porque marca o início da instalação do ensino superior na região Fogo/Brava com envolvência dos municípios, do Governo e da Un-CV, começando com os cursos na área de geociências e vulcanologia.

Ulisses Correia e Silva indicou que a escolha destes cursos está integrada no conceito da zona económica especial de vulcanismo da ilha do Fogo, mas vai também ao encontro da vocação e especialização económica e de conhecimento de investigação da ilha, lembrando que são cursos para todo Cabo Verde e para outras paragens.

“Estamos a materializar um compromisso de oferta de ensino superior de proximidade e integração no desenvolvimento regional das ilhas”, referiu.

Em relação a este protocolo, o presidente da Câmara Municipal de São Filipe, Nuías Silva, salientou que configura uma convergência de vontades políticas que representa o início da materialização dos sonhos dos foguenses que é a extensão do ensino superior.

“Será um grande passo para mais e melhores oportunidades para a juventude e dará um grande contributo na atractividade para a fixação de quadros altamente capacitados para a região e assim facilitar o desenvolvimento e a competitividade regional”, destacou Nuías Silva.

O autarca indicou que o projecto inovador do centro universitário do Fogo, utilizando tecnologias de informação e comunicação, augura novos tempos para a formação, capacitação e qualificação do capital humano, permitindo a região poupar recursos financeiros às famílias e potenciar a economia local à volta do ensino superior.

A secretária de Estado do Ensino Superior, Eurídice Monteiro, disse que o objectivo deste protocolo é criar as condições, não só logísticas, mas também científicas e sociais para a instalação de unidades, quer de investigação como de ensino e de extensão universitária na região Fogo/Brava.

“Este protocolo implica a criação de condições para o avanço progressivo para o futuro centro de excelência a nível do ensino superior, através da instalação do centro universitário”, disse a secretária de Estado para quem a prioridade é a investigação onde a ilha e a região poderão marcar a sua agenda na área de vulcanologia.

Além da investigação, a extensão universitária pode implicar o fornecimento de serviço a nível de observatório de vulcanologia que as universidades podem oferecer à região Fogo/Brava.

A governante indicou que há um compromisso para abertura de alguns cursos, no próximo ano lectivo, e que a Uni-CV tem técnicos e professores universitários especialistas nas áreas de geociências e vulcanologia, mas também parcerias internacionais e a própria potencialidade da diáspora que lhe permite uma efectiva instalação e arranque de um polo que vai ganhar progressivamente corpo para um centro universitário.

O protocolo foi assinado pela secretária de Estado do Ensino Superior, Eurídice Monteiro, em representação do Governo, pelo presidente do conselho directivo da Associação dos Municípios do Fogo e da Brava, Nuías Silva, e pela reitora da Uni-CV, Judite Nascimento, a partir da Praia, e testemunhado pelo primeiro-ministro.

JR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos