Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fogo: Oitavo padre da paróquia de São Lourenço é ordenado no próximo domingo

São Filipe, 16 Jul (Inforpress) – José Garcia de Barros, jovem de 30 anos natural de Ribeira Filipe, paróquia de São Lourenço, ilha do Fogo, é ordenado sacerdote no próximo domingo, 21, na sede da paróquia, tornando-se no oitavo padre originário de São Lourenço.

José Garcia de Barros, nasceu no ano de 1988 e é o sexto dos 12 filhos do casal Sabino de Barros e Maria de Fátima Garcia, tendo começado o percurso nos Irmãos Capuchinhos, no ano de 2009.

Até o ano de 2006 não frequentava a vida da igreja e por isso não passou pela catequese, mas depois por motivos pessoais e familiares aproximou-se mais da igreja católica, na sequência de uma viagem à ilha Brava para visitar os familiares.

“Como todos iam para a igreja então decidi ir para não ficar sozinho em casa e gostei e todos os cânticos e a celebração chamou a minha atenção, decidi continuar a frequentar a igreja, e quando voltei à ilha do Fogo continuei a frequentar para viver aquilo que senti no primeiro momento”, disse José Garcia de Barros à Inforpress.

Assim em 2009 iniciou o percurso nos Irmãos Capuchinhos, tendo feito o primeiro ano, denominado “postulantado” na ilha de São Nicolau, mais concretamente na paróquia de São Francisco de Assis, no município do Tarrafal, e no ano seguinte regressou à ilha Brava para o segundo ano, denominado “ano canónico de noviciado”, que é uma fase mais intensa de preparação para ver se era aquilo que a pessoa realmente quer da sua vida, com passagem pelas paróquias de São João Baptista e de Nossa Senhora do Monte já que ambas estavam ao cuidado pastoral dos Irmãos Capuchinhos da ilha Brava.

No ano seguinte deslocou-se a Portugal, mais concretamente à Universidade Católica do Porto, onde durante três anos fez estudos fraternos de filosofia e teologia, tendo no seu regresso a Cabo Verde, em 2014, regressado à ilha Brava para um ano de pastoral fraterno em que a pessoa passa para reflectir se a vida escolhida é na realidade aquela que a pessoa pretende seguir.

Em 2015 deslocou-se à Itália, região de Reggio Emília, onde frequentou o Seminário Maior da Diocese, para formação em teologia, tendo regressado este ano, há menos de um mês, estando a preparar-se para a ordenação sacerdotal, programado para o próximo domingo, 21 de Julho, na paróquia de São Lourenço à qual pertence.  Participa nestes dias no retiro dos Irmãos Capuchinhos que decorre até quinta-feira em São Filipe, onde preparar o espírito para a grande celebração “do dom da vida e do dom do amor de Deus”.

“Este é momento mais intenso que estou a viver e só tenho que agradecer a Deus e todos aqueles que colaboraram comigo para que este dia venha ser celebrado com alegria e entusiasmo”, afirmou.

Questionado se não é complicado para um jovem da sua idade exercer esta missão nos dias de hoje, José Garcia de Barros, respondeu: “se é a voz de Deus que chama, não vejo nenhuma complicação”, indicando que esta celebração deve ser “a celebração do amor do dom de Deus e da vida que vem do alto”.

“Se Ele (Deus) nos chama, dá todas as forças e as condições necessárias para que possamos responder à sua voz e a questão de idade não constitui dificuldades”, salientou.

Segundo o mesmo, no início não teve conhecimento da diferença que existe entre Capuchinhos e outras congregações religiosas e foi através da sua família, mas concretamente de um tio, que foi aspirante dos Irmãos Capuchinhos que o esclareceu, acabando por escolher os Capuchinhos.

A celebração sacerdotal de José Garcia de Barros não vai ser presidida nem pelo bispo do Mindelo nem pelo Cardeal, porque quando foi marcada a data, quer um como outro, não estavam disponíveis devido a compromissos já assumidos, sendo que a celebração da ordenação sacerdotal vai ser presidida por Dom Teodoro, que é bispo de Ponta Pedra, no Brasil.

Recorda-se que no ano passado, a 07 de Julho, a ilha do Fogo ganhava um novo padre Capuchinho, Flávio Camilo Correia de Pina, ele que o primeiro Frei Franciscano Capuchinho da cidade e o segundo padre da Paroquia da Nossa Senhora da Conceição.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos