Fogo: MAA e Câmara de Santa Catarina celebram protocolo em vista a resolução do problema de água em Chã das Caldeiras

 

São Filipe, 23 Jun (Inforpress) – A delegação do MAA, na ilha do Fogo vai rubricar na próxima semana com a Câmara de Santa Catarina, um protocolo para cedência temporária e a título devolutivo, de um camião cisterna para garantir o abastecimento de água à zona de Chã das Caldeiras.

O delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), Jaime Ledo, anunciou esta iniciativa quando reagia hoje a um artigo de imprensa divulgado recentemente, segundo o qual “a penúria de água em Chã das Caldeiras é um “descaso das autoridades” locais e nacionais, disse que, pelo contrário, as autoridades nacionais estão a ajudar bastante com acções concretas no terreno.

A título de exemplo, apontou este protocolo com a edilidade visando a disponibilização de camião cisterna para transporte de água e o projecto em curso que consiste na execução de um furo de prospecção de água em Chã das Caldeiras.

Conforme indicou, até a resolução definitiva e para evitar situações de penúrias, a delegação e a edilidade vão rubricar um protocolo de cedência de um camião cisterna da delegação, já a partir de segunda-feira, para garantir o abastecimento de água, não obstante considerar que é da responsabilidade da autoridade local e da empresa Águabrava, zelar pelo abastecimento de água à população, incluindo a de Chã das Caldeiras.

Jaime Ledo, informou ainda, que por iniciativa do MAA e como forma de ajudar na resolução do problema da água em Chã das Caldeiras, foi proposto também à edilidade de Santa Catarina a colocação de quatro barris de cinco toneladas cada na Caldeira, tendo os mesmos sido transportados pela Associação de Chã das Caldeira, ficando a Câmara com a tarefa de fazer a canalização e colocação de torneiras para abastecimento, facto que não aconteceu ainda.

Entretanto, esclareceu que sempre que lhe foi solicitado o apoio nesse sentido, a delegação do MAA apoiou no abastecimento de água e que, recentemente, na segunda-feira, além de efectuar duas viagens a Chã das Caldeiras com o seu autotanque, disponibilizou também mais um motorista à edilidade de São Filipe que também ajudou no processo.

Por seu turno, a população de Chã explicou que o problema de abastecimento se coloca também a nível do próprio local onde a água é depositada, que está cheio de bichos, tornando a água “impropria para o consumo humano”, responsabilizando a Câmara nesta matéria.

No que concerne à prospecção de água subterrânea, iniciada há sensivelmente um mês, o delegado do MAA informou que ainda não há uma data para o seu término, porque os trabalhos dependem muito das condições do terreno.

A título de exemplo, apontou que em quatro dias a equipa só perfurou 12 metros, porque se o terreno não for rochoso exige a cimentação e consolidação, o que leva algum tempo, para depois se continuar.

Contudo, Jaime Ledo está esperançado de que antes das chuvas o furo deverá estar pronto para se fazer adopção de água ao reservatório e depois a distribuição à população.

JR/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos