Fogo/Festa município: Trio da embarcação “Djenifa” vencedor da regata de botes marcada pela fraca participação

São Filipe, 25 Abr (Inforpress) – A embarcação de boca aberta “Djenifa” tripulada por Raul Lopes, António Fontes e João Miranda, foi a vencedora da edição de 2019 da regata, entre porto de Vale dos Vavaleiros e praia de Fonte Bila.

À semelhança do ano passado, esta prova que se enquadra nas festividades do Dia do Município e da Bandeira de São Filipe, contou com quatro embarcações (igual número da edição de 2018), participação que foi considerada de “fraca” por parte de muitas pessoas que se deslocaram à praça do Presídio e redondezas para assistir a prova.

A embarcação Djenifa, cujo um dos tripulantes conhecido por Dampa, habitual vencedor desta prova, não facilitou a concorrência e chegou ao local definido como meta de chegada com algum conforto em relação ao segundo classificado, a embarcação de nome “Linguarada de Lém” tripulada por Paulo Mendes, José Monteiro e Valdemiro Amado.

Na terceira posição classificou-se a embarcação “Edmilson”, cujo trio era constituído por Sidney Gomes, Victor de Pina e Victor Teixeira, e na quarta e última posição chegou a embarcação “Três Irmãos” tripulada por Fábio Teixeira, Manuel Barbosa e Manuel Centeio.

As três embarcações primeiras classificadas têm direito a prémio monetário, sendo que para a vencedora o valor ronda os 20 mil escudos, mas todas as embarcações, à semelhança dos anos anteriores, que ficaram fora do pódio, têm direito a prémio de participação.

Na tarde de hoje, a comissão de corrida de cavalos tem agendado uma reunião com os proprietários e jockers para a realização do sorteio das provas, nomeadamente de cavalos de terra que se realiza sexta-feira, com um total de seis cavalos, nomeadamente Ciclone (Santo Antão), Nero (Sal) e Philadelphia, CR7, Vulcão e Eva (Fogo) e 12 cavalos de puro sangue (PS) ou estrangeiros, cuja primeira fase se realiza no sábado, sendo que dez cavalos são da ilha do Fogo, Armando Cunha, Preto, Anak, Rolex, Criston, Furacão, Zaffa, Dom Pablo, Lura e Tripolia, um da ilha do Sal (Invasor) e outro de São Vicente (Airley).

O cavalo Furacão poderá não participar na prova porque, segundo informações da comissão da corrida, estava com problemas de saúde e apesar de ter sido acompanhado nos últimos dois dias por técnico veterinário não se sabe se estará operacional para a prova que se realiza no sábado.

JR/ZS

Inforpress

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos