Fogo: Escola Central de São Filipe reinaugurada domingo depois de uma profunda reabilitação e restauro

São Filipe, 29 Abr (Inforpress) – A Escola Central, situada na zona histórica da cidade de São Filipe, declarada património municipal em 2012, é reinaugurada este domingo, 28, depois de devidamente restaurada e reabilitada, através de financiamento de uma ONG Luxemburguesa.

Agendada inicialmente para meados de Novembro do ano passado, a reinauguração e a entrega deste edifício ao Ministério da Educação só agora vai acontecer, alguns meses depois da conclusão dos trabalhos de reabilitação e restauro do edifício e da área envolvente e terá custado mais de 20 mil contos.

A reabilitação deste estabelecimento escolar, construído na década de 30 do século passado e inaugurada a 10 de Junho de 1937, foi iniciada no lectivo de 2012/13 (primeira fase), com a substituição do tecto (telhado), melhoria de portas e janelas e noutras pequenas intervenções, e a segunda fase, que culminou com o restauro e reabilitação completa, foi iniciada há cerca de dois anos e consistiu numa intervenção mais profunda.

A segunda fase da reabilitação consistiu na reabilitação do tecto interno e a sua melhoria, confecção de novas portas e janelas, respeitando o modelo original, reabilitação do piso assoalhado, muro de protecção, rede eléctrica, e a própria reabilitação da estrutura física do edifício e dos anexos construídos posteriormente, melhoria do piso com colocação de pavês, pintura, de entre outras intervenções.

A Escola Central foi inaugurada a 10 de Junho de 1937 e é o mais antigo edifício escolar público existente em toda a Ilha e foi baptizada inicialmente com o nome de Escola Central Luís Vaz de Camões, mas conhecido desde da independência como escola central.

Arquitectonicamente a Escola Central é considerada um dos edifícios mais belos e imponentes da cidade e o Plano de Desenvolvimento Urbano de São Filipe colocou-a na categoria de protecção morfológica e é desde 2012 um património municipal.

A sua reabilitação enquadra-se no conjunto de quatro estabelecimentos escolares seleccionados para a primeira fase de reabilitação de escolas, financiada pela ONG Luxemburguês “Beetebuerg Helleft”, nomeadamente de Campanas de Baixo (norte), de Patim (Sul) e de Santa Filomena (arredores da cidade), considerado o maior pólo do município.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos