Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fogo: Empresa Fogo Sea Fishing aguarda decisão para desmantelamento do navio Deimos – Vincent Jorgensen

São Filipe, 28 Jul (Inforpress) –  O navio Deimos de 94 metros de comprimento, 15 de largura, 5.5 metros de calado e com capacidade para mais de três mil toneladas de carga, encalhado a 13 de Novembro de 2020, não está abandonado.

A informação foi avançada hoje pelo responsável da empresa Fogo Sea Fishing Marine Solutions, Vincent Jorgensen, que desde Dezembro de 2020 tem assegurado a vigilância do navio, aguardando pela autorização para o desmantelamento do barco de acordo com o contrato existente.

Os proprietários e seguradoras da embarcação encalhada permanecem comprometidos em continuar a remover o Deimos das proximidades do porto de Vale dos Cavaleiros, refere uma nota de imprensa do representante da seguradora, sublinhando que os esforços iniciais para remover os destroços foram impossibilitados pelo mau tempo ocorrido a 15 de Dezembro de 2020.

“O navio foi arrastado mais para a praia e os esforços de refluxo por parte da empresa espanhola contratada, Ardentia, foi encerrada após a descarregada e do plano de resgate inicial para reflutuar o Deimos pelos empreiteiros deixou de ser uma opção mais viável”, refere o documento.

Um técnico de uma empresa de especialistas em salvamento marítimo, representando os proprietários e as seguradoras, esteve em Cabo Verde de 19 a 23 de Julho, para rever a situação com a equipa local e planear o caminho a seguir com o Governo e as autoridades locais para proceder a remoção do Deimos, o mais rápido possível.

O plano de trabalho está sendo, segundo o documento, preparado e será submetido às autoridades nacionais para a sua aprovação o mais cedo possível, mas dada a experiência, profissionalismo e dedicação da empresa Fogo Sea Fishing Marine Solutions, os proprietários e seguradoras vão celebrar a concessão do contrato de remoção com esta empresa.

No processo de desmantelamento, a empresa Fogo Sea Fishing Marine Solutions irá envolver, não apenas especialistas estrangeiros, mas também mão-de-obra local para reduzir a taxa de desemprego e contribuir para a economia da ilha do Fogo.

Vincent Jorgensen, responsável da Fogo Sea Fishing Marine Solutions, disse que a solução não é salvar o navio, mas desmantelá-lo e desde que os proprietários e as seguradoras viram que não era possível tirar o navio do local começaram um diálogo com o Instituto Marítimo Portuário (IMP).

A Fogo Sea Fishing Marine Solutions está a vigiar o navio 24 horas/dia desde 15 de Dezembro, com um total de seis guardas, o que significa que nunca, nem a seguradora e nem o dono do navio abandonou, contrariamente à informação que tem sido passada.

O responsável da empresa disse que ainda não há uma data para iniciar a operação de desmantelamento do Deimos, aguardando pela decisão das autoridades, porque existem vários actos administrativos que têm de ser feitos antes da assinatura entre a empresa e a seguradora para o arranque do processo.

No entanto, além de garantir a segurança do navio, a empresa, segundo Vincent Jorgensen, já está a preparar espaços e estaleiros, assim como mobilizado toda a maquinaria especial no exterior para efectuar este trabalho, sendo que na carta de intenção que celebrou com a seguradora ficou garantida que esta vai providenciar a parte técnica e material que não existe no mercado local.

Vincent Jorgensen assegurou que o ferro será colocado, temporariamente, no estaleiro em construção na zona industrial, perto do porto de Vale dos Cavaleiros, e a parte que não será utilizada na ilha será vendida, lembrando que a procura de ferro velho aumentou em 300 por cento (%) desde Janeiro e por isso será vendido.

Desde Dezembro, explicou Vincent Jorgensen, o Deimos encontra no mesmo sítio e na mesma situação, e não moveu nenhum centímetro e nem teve mais perfurações, estando neste momento “sentado” na areia.

Recorda-se que há duas semanas o ministro do Mar, Paulo Veiga, disse que o Estado de Cabo Verde tem de ter todas as garantias antes de autorizar o desmantelamento do navio Deimos que tinha todos os seguros exigidos internacionalmente aquando do seu encalhe e que ainda não foi dado por perdido a favor do Estado de Cabo Verde.

Este referiu que a empresa que irá fazer o desmantelamento terá de cumprir várias regras e ter uma ideia clara onde vai colocar o ferro para não ficar ferro velho na ilha do Fogo.

O navio Deimos com bandeira do Panamá, encalhou no dia 13 de Novembro de 2020 nas proximidades do porto de Vale dos Cavaleiros ao deixar este porto rumo à ilha de São Nicolau.

Depois de retirada de várias toneladas de carga (cimento e ferro) as autoridades marítimas com recursos a vários meios e equipamentos fizeram poucos dias a retirada de 110 mil e 200 litros de combustível e aguaoleosa que se encontrava a bordo do navio.

JR/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos