Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fogo: Edil pretende responsabilizar criminalmente os seus antecessores apesar de acreditar que a justiça não funciona

 

São Filipe, 12 Jun (Inforpress) – O edil de São Filipe, Jorge Nogueira, pretende responsabilizar criminalmente os seus antecessores, Eugénio Veiga e Luís Pires, pelas graves situações de gestão dos bens do município, apesar de acreditar que a instituição de justiça não funciona.

“Há situações graves e os responsáveis vão pagar”, disse Jorge Nogueira, observando que apesar de muitos casos que são tipificados como crimes já estarem prescritos, mesmo assim a edilidade vai entregar todos os casos ao Ministério Público e solicitar o direito de retorno que a câmara pode pedir pelo dinheiro mal gasto.

O edil prometeu para breve tornar público as situações encontradas, observando que neste momento está mais concentrado no arranque de alguns projectos, depois da reorganização dos serviços, e que logo a seguir vai concluir o dossiê para entregar ao Ministério Publico.

“A minha paciência é dos chineses, vou demonstrar, como demonstrei em outros casos, como aconteceu no anel rodoviária, que tenho razão”, afirma Jorge Nogueira, sublinhando que “pena é que a justiça não funciona, mas isso não continuará até o fim do mundo”.

Este disse que na democracia as instituições exigem que cada um cumpra com as suas obrigações, por isso mostrou optimista de que “mais dias menos dias, a justiça funcionará” e no caso da gestão danosa a que São Filipe foi alvo durante 24 anos, os seus responsáveis vão ter de pagar.

Para justificar o não funcionamento das instituições da justiça, Jorge Nogueira disse que há três anos entregou na Procuradoria da República o dossiê relativo ao “anel rodoviário”, mas que até hoje, nem na qualidade de denunciante fui chamado e que agora é o Estado que vai aparecer nos bancos dos réus, enquanto quem devia lá estar até hoje não foi chamado.

Por isso, advoga o edil de São Filipe, “não posso dizer que a justiça funciona ou se funciona é apenas para alguns”.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos