Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fogo: Cesandro Sequeira é terceiro padre diocesano originário da paróquia de Nossa Senhora da Conceição

São Filipe, 08 Jul (Inforpress) – Cesandro Sequeira, originário da cidade de São Filipe, vai tornar-se no quarto padre da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição e o terceiro padre diocesano com a sua ordenação no próximo domingo, 11.

O pároco de Nossa Senhora da Conceição, padre Lourenço Rosa, disse à Inforpress que a diocese e a paróquia estarão em festas com as ordenações sacerdotal de Cesandro Sequeira e diaconal de Carlos Xavier, este natural de Mosteiros, mas estagiando na paróquia de Santa Catarina.

A cerimónia será presidida pelo bispo da Diocese de Santiago, Dom Arlindo Furtado, e realiza-se no átrio da igreja matriz, contando com cerca de três dezenas padres e fiéis das quatro paróquias da ilha, Nossa Senhora da Conceição e São Lourenço (São Filipe), Nossa Senhora da Ajuda (Mosteiros) e Santa Catarina (Santa Catarina).

Dada a situação de pandemia, a paróquia está a fazer de tudo, segundo o pároco, para garantir o distanciamento físico e demais medidas sanitárias, pedindo a todos os fiéis para levarem água e protecção para a chuva, se houver, e para o sol.

Cesandro Sequeira, natural de Nossa Senhora da Graça (Praia), por ter nascido no hospital Agostinho Neto, vai ser o terceiro padre diocesano da paróquia da Nossa Senhora da Conceição, depois de Egídio Santos (pároco de Nossa Senhora da Ajuda) e José Spínola (pároco de Santa Catarina) que ordenou no ano passado.

“Ele é o quarto padre desta paróquia, contando com o padre Flávio que é da congregação dos Capuchinhos”, disse Lourenço Rosa, destacando que nos últimos dois anos ocorreu a ordenação de dois padres.

Pelas suas contas, no total a ilha contabiliza até hoje dez padres, incluindo o primeiro, o padre Viriato, que deixou de exercer funções de padre, mas lembrou que “uma vez ordenado é sacerdote para sempre”.

A maioria dos padres são Capuchinhos, algo natural, porque, explicou, durante muitos anos foram os Capuchinhos que trabalharam na ilha do Fogo e que só em meados de 1992 a ilha recebeu o primeiro padre diocesano.

Tratou-se do padre Sanches, que segundo o mesmo, trabalhou durante 17 anos na paróquia de Nossa Senhora da Conceição, referindo que neste momento a mesma está a colher frutos semeados por este sacerdote.

O número de padres podia, na óptica do mesmo, ser maior, mas, lembrou, “colhemos aquilo que semeamos” e que houve altura em que “não se registou um trabalho de chamada vocacional dos jovens”, lembrando que há todo um processo de discernimento vocacional, quer no seminário como nas casas religiosas.

Este indicou que no passado houve “muitas vocações femininas”, que depois estagnou e que neste momento existem mais vocações masculinas.

Cesandro Samir Pires Sequeira nasceu a 13 de Julho 1994, na cidade da Praia, e fez todo o percurso académico, até ao 10º ano, na cidade de São Filipe.

Aos 16 anos entrou no Seminário Menor de São José (Praia) onde permaneceu dois anos, tendo completado os estudos secundários no Liceu Cónego Jacinto da Costa.

Posteriormente seguiu para o Seminário Maior em Lisboa (Portugal) para continuar a formação sacerdotal, tendo obtido o mestrado em teologia na Universidade Católica Portuguesa.

Passou três anos no seminário de Caparide, em São Domingos de Rana, onde fez o ano propedêutico e completou os dois primeiros anos do curso de teologia, dedicados às línguas clássicas e à Filosofia.

Passou quatro anos no Seminário dos Olivais, onde completou o curso do mestrado em teologia e fez uma experiência mais intensa de pastoral, em algumas paróquias do Patriarcado de Lisboa (Nossa Senhora de Fátima – Lisboa, Santo Antão e Julião do Tojal – Loures, Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos – Ramada).

Depois de completar o percurso nos Seminários de Lisboa, em 2019, regressou à Diocese de Santiago, onde actualmente colabora na paróquia de São Domingos.

 Carlos Xavier Gonçalves, que vai ser ordenado diácono, nasceu a 08 de Agosto de 1993 nos Mosteiros.

O seu percurso académico, de terceira classe ao 12º ano, aconteceu na cidade de Brockton, Estados Unidos da América, tendo, aos 18 anos, entrado no Seminário Menor de São José (Praia) onde permaneceu um ano e meio.

Depois seguiu para o Seminário Maior em Algarve (Portugal) para continuar a formação sacerdotal, tendo passado um ano no Seminário de São José (Faro) onde fez o ano propedêutico.

Passou seis anos no Seminário Maior de Évora (Nossa Senhora da Purificação), onde dedicou às línguas clássicas e à filosofia, tendo concluído a teologia na Universidade Católica de Lisboa e no sexto ano fez o estágio pastoral na paróquia de Nossa Senhora da Oliveira (Samora Correia) acompanhado pelo pároco Heliodoro.

Concluído o percurso regressou à Diocese de Santiago, onde actualmente faz o estágio pastoral na paróquia de Santa Catarina do Fogo.

JR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos