Fogo: Carta pedestre do PNF dispõe de um código que permite às pessoas ter acesso aos traçados on-line

 

São Filipe, 10 Jun (Inforpress) – A carta de percursos pedestre do Parque Natural do Fogo (PNF) apresentada sexta-feira, na cidade de São Filipe, dispõe de um código QR que permite às pessoas ter acesso aos traçados dos caminhos on-line através da aplicação Google Earth.

Herculano Diniz, técnico do Parque Natural do Fogo (PNF) que fez a apresentação da carta, disse à Inforpress que todo o mapa dispõe do código e as pessoas podem ter acesso a todos os caminhos, podem explorar e ver a sua localização antes de visitar o PNF e fazer a caminhada, assim como todas as informações disponibilizadas na carta.

“É um código único como o código de barra que se utiliza para a venda de produtos e com um aplicativo faz-se a leitura e tem-se acesso às informações”, disse Herculano Diniz, indicando que o objectivo da produção dos mapas não é o de comercializá-lo, mas disponibilizar informação e fazer com que o máximo de pessoas conheça a ilha, o PNF e os caminhos.

Segundo a fonte, quanto mais informações as pessoas têm mais interessadas ficam em visitar o Parque e percorrer os caminhos, comprar os produtos, interagir com as pessoas e fazer com que o turismo na ilha do Fogo funcione e o destino Fogo seja mais conhecido e divulgado.

Ao todo são 17 caminhos turísticos do Parque Natural do Fogo (PNF), dos quais 14 no interior da área protegida e três caminhos de ligação do PNF a cada um dos três municípios da ilha, que ainda não estão sinalizados, mas o técnico do PNF afirma que “a sinalização dos caminhos é o passo seguinte”.

“Estamos a criar todo o suporte digital e em papel, porque a sinalização é cara e precisamos de um projecto grande”, explicou Herculano Diniz, indicando que a direcção do PNF está a trabalhar com os seus parceiros, e mesmo a nível do Governo, porque Fogo está a candidatar-se a reserva da biosfera, e acredita que é necessário fazer a sinalização para ajudar na interpretação.

Os percursos da ilha não estão sinalizados mas é uma necessidade e mais avalia para o Parque se conseguir sinalizar os caminhos, disse, observando que já têm financiamento para sinalizar alguns dos 17 caminhos, no âmbito do projecto para o desenvolvimento do ecoturismo sustentável e solidário FATA (Fogo, Água, Terra, Ar) e está-se a analisar com os parceiros de Canárias a possibilidade de elaborar um projecto para conseguir a sinalização geral dos caminhos.

A coordenadora do projecto FATA, parceiro na elaboração da carta, Samara Dionis, disse que o mapa constitui um instrumento privilegiado para tornar a ilha do Fogo mais conhecida e procurada pelos turistas, opinião compartilhada pelas outras pessoas presentes na apresentação desta carta que além dos caminhos contém um conjunto de informação sobre a biodiversidade (fauna e flora), geodiversidade, aspectos socioculturais e uma discrição do Parque Natural.

Relativamente à candidatura da ilha a reserva da biosfera, Herculano Diniz disse que está-se no processo de preparação e os trabalhos estão em curso para submeter a candidatura em Setembro.

A carta foi elaborada pelo PNF em parceria com as Universidades de Las Palmas de Gran Canárias (Ilhas Canárias), Direcção Nacional do Ambiente e Universidade de Cabo Verde, e com a colaboração da Associação de Guias de Chã das Caldeiras, Consulado Geral Honorário de Cabo Verde em Las Palmas, sendo que a impressão foi co-financiada pela Adega vitivinícola de Chã das Caldeiras.

Foram produzidos quatro mil exemplares que já estão à disposição dos turistas e dos interessados mediante o pagamento de 1000 escudos (10 euros).

JR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos