Fogo: Câmaras iniciam a implementação dos planos de mitigação com abertura de postos de trabalho e apoio aos criadores

São Filipe, 06 Dez (Inforpress) – As Câmaras de Santa Catarina do Fogo e São Filipe iniciaram a implementação dos planos de mitigação da seca e do mau ano agrícola com criação de postos de trabalho e apoio aos criadores no transporte de pastos.

No município de Santa Catarina, o presidente, Alberto Nunes, disse que começaram pela localidade de Estância Roque, mas vão dar continuidade, a partir de agora, às localidades onde o impacto do mau ano agrícola foi maior, priorizando a zona sul do município.

A previsão da autarquia era de 16 mil contos, mas como o Governo, através do Ministério da Agricultura, disponibilizou ao município pouco mais de seis mil contos, a câmara deve entrar com mais quatro mil contos, totalizando assim cerca de 11 mil contos, para gerir até meados de Junho de 2022, referiu o autarca, sublinhando que ao elaborar o plano contava com uma comparticipação do Governo à volta de 11 mil contos e que a autarquia entrava com mais cinco mil contos.

“Dos três municípios da ilha do Fogo, Santa Catarina foi o mais afectado pela seca e mau ano agrícola e com problemas de pastos e de produção para garantir a sustentabilidade dos agricultores”, afirmou Alberto Nunes, observando que sempre, em situações do género, a câmara apoia no transporte de pastos, mas que este ano, no quadro do plano, vai reforçar no transporte.

Paralelamente ao apoio no transporte de pastos, a autarquia vai sensibilizar os criadores, porque, segundo explicou Alberto Nunes, ainda alguns deles podem recolher e salvar pastos nas suas propriedades, sublinhando que devem esgotar todas as suas possibilidades antes de recorrerem à câmara.

No dizer do mesmo, “muitos se desresponsabilizam e acham que é a câmara que deve garantir toda a sustentabilidade de pastos para salvar os seus animais”.

Com relação ao município de São Filipe, o plano para a mitigação dos impactos do mau ano agrícola, que foi submetido ao Governo, previa o montante de 35 mil contos para beneficiará 1.306 famílias de todas as localidades do município, mas o concelho foi contemplado com pouco mais de quatro mil contos.

Apesar deste cenário, em que a autarquia pediu esclarecimento sobre atribuição do valor, o município já começou a implementar o plano de mitigação nos eixos de criação de emprego e salvamento de gados.

Na componente de criação de emprego foram abertas frentes de trabalho nas localidades como Serrado, Pedro-Homem, Lugar Novo e Às-Hortas, estando previstas abertura de mais postos de trabalho nas demais localidades.

Já no quadro do eixo, salvamento de gados, além de aquisição de milho para disponibilizar aos criadores a um preço bonificado em parceria com as associações de desenvolvimento comunitárias, a câmara iniciou o processo de apoio aos criadores com transporte gratuito de pastos.

Para esta semana, a autarquia vai proceder à selecção das primeiras actividades geradoras de rendimento destinado a jovens e mulheres do município, no quadro do plano de mitigação da seca e do mau ano agrícola.

JR/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos