Fogo: Através da circulação dos selos valorizamos São Filipe enquanto património cultural – PM

São Filipe, 21 Set (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse hoje em São Filipe, que através dos selos alusivos ao primeiro centenário da cidade de São Filipe está-se a valorizar esta cidade enquanto património de Cabo Verde.

O primeiro-ministro que presidiu ao acto de lançamento do selo alusivo ao primeiro centenário da elevação de São Filipe à categoria de cidade (1922-2022), parabenizou os Correios de Cabo Verde e a câmara de São Filipe, afirmando que com o lançamento do selo, celebra-se o centenário de São Filipe enquanto cidade.

“O selo para além de circular pelo país e pelo mundo marca e dá corpo a um momento que perdura no tempo”, disse Ulisses Correia e Silva, sublinhando que, quer através da circulação de correspondências e encomendas, pela colecção São Filipe será mais valorizada enquanto património deste país e desta nação.

Por outro lado, referiu que o lançamento do selo representa o compromisso da promoção da cidade e da própria ilha, porque, explicou, lá onde existem pessoas a adquirirem os selos para as correspondências é São Filipe que está a circular com a sua imagem que é uma manifestação do seu centenário.

“É um compromisso para reforçarmos aquilo que tem de ser feito relativamente à valorização do património vivo que é São Filipe. Tem história e cultura que precisam ser valorizadas com intervenções que temos estado a fazer e que até o final deste ano ou início do próximo estaremos a inaugurar, como as requalificações que estão sendo feitas, incluindo asfaltagem das vias”, disse o primeiro-ministro.

Estas intervenções, avançou, é na perspectiva de manter os traços originais para valorizar e apresentar a cidade como mais atractiva para as pessoas que vivem nela, mas também para aqueles que querem visitar e investir.

“São Filipe tem muito património imaterial, música, tradições, cultura”, referiu Ulisses Correia e Silva, sublinhando que a sua valorização visa tornar São Filipe uma cidade vibrante, observando que isso terá depois um retorno grande, não só da valorização da cultura, mas o retorno económico.

O primeiro-ministro sublinhou que a ilha do Fogo tem um património muito forte a valorizar e que a história, identidade e cultura são elementos patrimoniais importantes, acrescentando que não vale a pena olhar para trás com nostalgia porque não se pode recuperar o passado, mas valorizar este passado e inspirar e aspirar nele para um futuro melhor.

O presidente do conselho de administração dos Correios de Cabo Verde, Isidoro Gomes, disse que esta emissão filatélica é constituída por dois selos, um com valor facial de 40 escudos e outro de 60 escudos, ambos com uma tiragem de sete mil exemplares, e um bloco filatélico sendo um no valor de 200 escudos e uma tiragem de 1.500 exemplares.

“Os Correios vão muito além de uma empresa comercial. Além das encomendas, vales e encomendas, vales e correspondência, transportamos emoções e sentimentos”, disse o PCA dos Correios, observando que a empresa mais antiga de Cabo Verde e a terceira mais antiga da África, transporta a cultura, tradições, princípios e valores do povo cabo-verdiano, mas também as riquezas patrimoniais e arquitectónicas como São Filipe, que será dada a conhecer a mais de 194 países.

“Hoje mais do que nunca, os Correios são também um ponto de cultura e de turismo. Através dos selos, estrangeiros descubram as nossas terras e os nossos fazedores de cultura se internacionalizam”, referiu o PCA dos Correios, sintetizando que através dos selos o mundo reconhece Cabo Verde e a ligação entre residentes e a diáspora mantém-se umbilical.

Já o presidente da câmara de São Filipe, Nuías Silva, disse que o lançamento do selo alusivo ao primeiro centenário da cidade de São Filipe o sensibiliza porque consagra a profunda expressão dos sanfilipenses de ser esta a cidade invicta.

“Este centenário é um “equador histórico” para São Filipe, porquanto nos relança para a ideia do seu bicentenário em 2122, repto das gerações vindouras, mas responsabilidade nossa que fazemos aqui e agora assaz sementeira”, destacou o edil para quem é tempo de celebração do passado, do presente e do futuro, sob os auspícios desta emissão filatélica.

Nuías Silva destacou ainda que São Filipe é uma cidade que teve sempre ambição de futuro e que teve o engenho e o esforço de materializar o devir, desde a sua fundação, interpretada pelo selo e que através das encomendas e correspondência homenageará São Filipe.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos