Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Fogo: Arranque de cursos superiores depende do diálogo com Ministério da Educação e entidade reguladora – coordenador

São Filipe, 12 Ago (Inforpress) – O arranque dos cursos superiores presenciais que o Instituto Politécnico Democracia e Desenvolvimento (IPDD) pretende abrir no centro educativo Casa Materna vai depender do diálogo com o Ministério da Educação e a entidade reguladora.

O responsável do Instituto Politécnico Democracia e Desenvolvimento (IPDD), Milton Paiva, disse hoje à margem do encerramento do “campus Fogo 2019” promovido por este instituto, que os cursos avançados, executivos e à distância vão arrancar no ano lectivo 2019/20 e que o presidencial superior depende do diálogo que o IPDD está a ter com Ministério da Educação e a entidade reguladora.

“Este é um centro educativo multinível que tem várias instituições dentro e vários alvarás. O plano de operacionalização está definido e vai ser progressivo”, disse Milton Paiva, indicando que a Escola Académica vai ser reposicionada e passa a funcionar neste espaço, a DNA que tem alvará para incubação de empresas e formação profissional começará em força, mas a nível de ensino superior está sendo analisado ainda com as entidades.

Segundo a mesma fonte, é uma estratégia mais progressiva que implica uma estrutura diferente e por isso pretende-se começar com formações executivas, programas avançados, formação à distância em parceria com a Faculdade Católica Paulista e, “se a autoridade reguladora concordar o IPDD poderá arrancar com dois cursos superiores no universo de quatro que consta do nosso alvará”, disse, mas não avançou de que cursos se trata porque está em fase negocial e há uma série de regulamentação a seguir.

No concernente ao campus Fogo 2019 que o IPDD promoveu durante uma semana, Milton Paiva disse que foi “muito bom e que estava à espera a ter mais dificuldades porque o formato do evento é novo e o projecto educativo que está a tentar desenvolver é novo, ambicioso e exigente”.

No dizer do mesmo, o evento conseguiu ter um bom grupo de jovens interessados e com uma boa formação de partida, ideias empreendedoras, participativo, e que o instituto conseguiu também arranjar bons parceiros locais e algumas institucionais como o IEFP e a Proempresa, criando boas condições de partida para o projecto que “espera que venha criar impacto na região”.

Durante uma semana de realização do “campus Fogo 2019” vários temas foram analisados e discutidos, como sejam “o mercado cabo-verdiano a partir de uma perspectiva local: dinâmicas e oportunidades”, “empreender em tempos de crise: trabalho, liderança, sucesso e sonho”, assim como realização de atelier sobre inovação empresarial e cinema empresarial, workshop sobre “design thinking para empreendedores e inovadores sociais”.

Negócios e tertúlias portas abertas sobre “emprego e empreendedorismo: o sucesso do meu negocio”, formação em “comunicação e liderança” e “estratégias de marketing e influência digital”, palestra sobre “responsabilidade social do empreendedor” e “gestão orçamental por resultados para municípios e organizações não governamentais”, foram outras questões analisadas no “campus Fogo 2019” do IPDD.

JR/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos