Financiamento do Luxemburgo vai permitir reforçar os investimentos a nível da saúde e apoiar no combate à exclusão social – vice-PM

Cidade da Praia, 26 Jun (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro afirmou hoje que o financiamento disponibilizado pelo Luxemburgo vai permitir aos municípios apoiar as famílias mais carenciadas e afectadas pela covid-19, reforçar os investimentos a nível da saúde pública e apoiar no combate à exclusão social.

O vice-primeiro ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, fez estas declarações, à margem da cerimónia de assinatura dos acordos de financiamento entre Cabo Verde e Luxemburgo no valor de 180 mil contos, para apoiar os municípios no combate ao novo coronavírus e as famílias mais afectadas pela pandemia de covid-19.

Desse montante, 1.134.000 euros vão ser canalizados para apoiar os municípios no combate à covid-19 a nível do saneamento e saúde pública e às famílias mais afectadas pela pandemia. A outra parte, 494. 633 euros, será destinada ao projecto da vinda de 33 especialistas de saúde cubanos a Cabo Verde no âmbito do suporte ao combate à covid-19.

O governante destacou a importância do referido apoio e da parceria entre Cabo Verde e Luxemburgo, considerando aquele país como um parceiro “bilateral importante” e “privilegiado” para Cabo Verde.

Com a assinatura do referido acordo, prosseguiu, os municípios estarão em melhores condições de dar respostas na luta contra a covid-19, e de garantir as medidas de protecção no quadro do Plano Nacional de Contingência.

Frisou, por outro lado, que Cabo Verde será seguramente um dos países mais impactados por esta pandemia do ponto de vista económico e do ponto de vista social, defendendo a necessidade de criação de condições e mobilização de esforços no combate à pandemia do novo coronavírus.

“Com este financiamento, as câmaras municipais ficam em condições de financiar por exemplo a informação sobre a covid-19, o reforço do saneamento e desinfecção das localidades, o apoio às pessoas do sector informal que devido ás medidas de restrições são privadas do rendimento, o apoio logístico à implementação das medidas do Governo e o reforço da protecção civil”, referiu.

Olavo Correia afirmou ainda que Cabo Verde vive um momento único na sua história enfrentando desafios colossais exigentes, que, no seu entender, serão ultrapassados com o engajamento de todos e apoio dos parceiros internacionais.

Por seu turno, a encarregada de Negócios da Embaixada do Luxemburgo em Cabo Verde, Angèle da Cruz, afirmou que o Luxemburgo decidiu contribuir financeiramente para o orçamento dos municípios para apoiar o combate aos efeitos da covid-19, por reconhecer que os serviços públicos das câmaras estão entre os principais agentes de apoio às populações e combate à pandemia.

Para esta responsável, a pandemia obriga a nível de cada comunidade o reforço dos cuidados e a capacidade de novas respostas, com destaque para as medidas sanitárias de prevenção e mitigação para o combate à doença.

“Conforme o pedido do Governo de Cabo Verde, estes recursos serão distribuídos pelos 22 municípios de Cabo Verde os mesmos critérios de repartição que é utilizado pelo Fundo do Ambiente. Através deste apoio, o Luxemburgo materializa mais o esforço da União Europeia e seus estados membros no combate à covid-19”, declarou.

CM/ZS

Inforpress/Fim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos