Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Filme “Nomadland” de Chloé Zhao foi o grande vencedor dos prémios BAFTA

Londres, 12 Abr (Inforpress) – “Nomadland” foi hoje o grande vencedor da 74.ª edição dos prémios da Academia Britânica das Artes Cinematográficas e da Televisão (BAFTA), alcançando quatro prémios, entre os quais melhor filme, melhor realizador e melhor actriz.

O filme da realizadora sino-americana Chloé Zhao conta a história de uma mulher (Frances McDormand) que viaja pela América como nómada, vivendo numa caravana, trabalhando em empregos temporários e sobrevivendo na estrada, na sequência de uma crise económica.

Chloé Zhao tornou-se na segunda mulher a ganhar o BAFTA de melhor realização, e a primeira asiática, sendo que esta madrugada já tinha sido distinguida com o mesmo prémio, mas pelo Sindicato dos Realizadores da América.

Zhao, que recebeu os prémios relativos a melhor filme e melhor realização, agradeceu à comunidade nómada, destacando a forma como esta partilhou “os seus sonhos e sofrimento” durante as filmagens.

“O filme diz-nos muito sobre a nossa sociedade e sobre o que precisamos de melhorar”, disse Zhao no discurso.

“Nomadland – Sobreviver na América”, que já venceu dois Globos de Ouro e está nomeado para sete Óscares, também venceu o prémio de melhor actriz, ganho pela norte-americana Frances McDormand, e o de melhor fotografia.

A película “Rocks” venceu dois prémios: de melhor elenco e melhor actriz emergente, entregue a Bukky Bakray.

“Rocks” é um drama sobre uma adolescente que passa a viver na rua com o irmão mais novo, depois de ambos terem sido abandonados pela mãe.

Nas interpretações secundárias foram distinguidos Daniel Kaluuya, em “Judas and the Black Messiah”, e Yuh-Jung Youn, em Minari.

“Soul” venceu melhor filme de animação e melhor banda sonora, enquanto “Sound of Metal” triunfou nas categorias de melhor som e de melhor montagem.

O filme “The Father” arrecadou o prémio de melhor ator, atribuído a Anthony Hopkins, e o de melhor guião adaptado. “A Promising Young Woman” venceu os prémios de melhor filme britânico e de melhor guião original. “The Mother of Blues” venceu nas categorias de melhor caracterização e de melhor guarda-roupa.

O BAFTA de melhor filme em língua não inglesa foi para “Another Round” e o relativo à maior contribuição para o cinema britânico foi entregue a Noel Clarke.

Tanto “Nomadland – Sobreviver na América” como “Rocks” somavam sete nomeações para os BAFTA, mas apenas o filme de Chloé Zhao, que tem recebido vários prémios nas últimas semanas, estava nas categorias de melhor realização e melhor filme.

Este ano, a cerimónia dos BAFTA deveria ter acontecido em Fevereiro, mas foi empurrada para Abril por causa da covid-19, seguindo a decisão tomada pela academia dos Óscares, que adiou a entrega para finais de Abril.

O anúncio dos BAFTA aconteceu apenas ‘online’, a partir do Royal Albert Hall, em Londres.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos