Ficase e BCA unem esforços para garantir acesso à educação a mais crianças em Cabo Verde

Cidade da Praia, 11 Nov (Inforpress) – A Ficase e o Banco Comercial do Atlântico (BCA) dispõem, a partir de hoje, de um protocolo de cooperação visando apoiar alunos em situação de vulnerabilidade social nas escolas em todo o território nacional.

O acto de assinatura foi rubricado pelo presidente da Fundação Cabo-verdiana de Acção Social e Escolar (Ficase), Albertino Fernandes e do presidente do Conselho Executivo do BCA, Francisco Silva esta manhã, na cidade da Praia.

Em declarações à imprensa, Francisco Silva informou que o BCA tem enquadrado na sua estratégia de responsabilidade social apoiar instituições que, do seu ponto de vista, contribuem para ter uma sociedade mais solidária e sustentável.

Destacou a forma como a FICASE enquanto instituição de referência nesta área tem desenvolvido as suas acções na promoção de igualdade e oportunidades a comunidade educativa, beneficiando mais de 100 mil crianças em todos os concelhos do país.

“Nos preocupa enquanto instituição de referência em Cabo Verde contribuir para melhorar a sociedade e entendemos que a educação é um dos pilares do desenvolvimento do país e o nosso apoio é mais bem empregue e utilizado se for feito através de instituições, que estão consolidadas no terreno e que têm uma experiência nesta matéria”, declarou, informando que o disponibilizado à Ficase é de 750 mil escudos por um período de três anos.

Por seu turno, o presidente da Ficase, Albertino Fernandes, enalteceu a parceria estabelecida com o BCA, lembrando que este acordo se enquadra no âmbito do projecto de kits escolares da referida instituição.

“O valor será destinado à aquisição de materiais escolares em todo o território nacional. Não temos prioridades em termos de zonas, a Ficase é uma fundação cabo-verdiana que trabalha no âmbito nacional de Santo Antão a Brava”, afirmou, salientando que a Ficase identificou crianças com necessidades em todos os concelhos.

Questionado, por outro lado, quais as necessidades da Ficase neste momento salientou que a referida fundação tem responsabilidades de mobilizar recursos e que dos projectos que precisa de mais apoio é o programa de apadrinhamento que permite a todos apadrinharem os alunos quer do ensino básico, ensino secundário e ensino superior.

Com a assinatura deste protocolo, realçou, a Ficase irá garantir um direito à educação às crianças, tendo apelado a todos a se unirem à Ficase neste momento difícil aderindo ao programa de apadrinhamento através do site da instituição.

CM/ZS

Inforpress/Fim.

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos