Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Festividades de Nossa Senhora de Fátima: Bispo Dom Arlindo Furtado pede aos fiéis a “cultura do cuidado” (c/áudio)

Assomada, 13 Mai (Inforpress) – O bispo da Diocese de Santiago, Dom Arlindo Furtado, pediu hoje aos fiéis e devotos de Nossa Senhora de Fátima para cultivarem a “cultura do cuidado” uns para com os outros assim como a padroeira fê-lo como mãe.

“Nossa Senhora de Fátima celebramo-la porque no meio de uma situação muito conturbada da história da humanidade ela, precisamente como mãe, veio dizer a todos os seus filhos que é preciso que nós nos conheçamos como irmãos, que nós nos amemos como irmãos, que nós nos tratemos como irmãos e que nós nos cuidemos como irmãos”, lembrou o cardeal Dom Arlindo Furtado.

É nessa linha que vincou que os fiéis precisam cultivar a “cultura do cuidado”, sobretudo hoje, referindo-se à pandemia da covid-19, que, segundo ele, “nos ajudou a perceber que ninguém é auto-suficiente e que todos precisamos de apoio uns dos outros para que possamos ser mais humanos, mais felizes para que possamos ultrapassar as dificuldades e partilhar a alegria de viver”.

O líder religioso, que falava à imprensa após presidir missa co-celebrada pelos sacerdotes de outras paróquias da Diocese de Santiago, lembrou ainda que o próprio Papa Francisco insiste nessa necessidade de todos os cidadãos aprenderem uns com os outros independentemente da região, raça, cor e condição social, para que estes possam se salvar.

Esta “cultura de cuidados”, esclareceu, não tem que ser de forma “esporádica”, mas sim “contínua” para que se possa superar as dificuldades de viver com a dignidade.

“A Nossa Senhora nos dá exemplo dessa cultura de cuidados e como mãe nos incita a fazer isto, porque ela nos manda fazer o que Cristo mandou e Cristo não faz outra coisa senão manifestar o seu amor em todas as circunstâncias na vida, na sua disponibilidade para fazer o bem, pedindo-nos para fazer seguindo o exemplo e os passos dele”, concluiu a bispo.

Assim como os demais devotos da santa, Maria da Veiga e António Gomes Robalo, que assistiram à missa e acompanharam a santa na procissão que percorreu as principais artérias da cidade de Assomada, pediram-na “o fim da pandemia, muita paz, saúde e chuva”.

Apesar de a pandemia provocada pelo novo coronavírus, a missa reuniu milhares de fiéis e devotas da santa no largo da Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Assomada, mas alguns não respeitaram as recomendações das autoridades sanitárias, nomeadamente o distanciamento físico e uso de máscaras.

Este ano por causa da covid-19 e do estado de calamidade, as actividades desportivas e culturais que estavam agendadas para comemorar os 20 anos da elevação da vila de Assomada à categoria de cidade foram suspensas.

Numa ronda, a Inforpress constatou que os estabelecimentos comerciais funcionaram normalmente e que as pessoas fizeram o tradicional almoço e com presença de convidados, não obstante o apelo das autoridades para se evitar ajuntamentos de pessoas.

FM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos