Festival Sete Sóis Sete Luas anima pela primeira vez o município de Santa Catarina de Santiago

Assomada, 03 Nov (Inforpress) – O município de Santa Catarina, interior da ilha de Santiago, recebeu esta sexta-feira pela primeira vez a edição do Festival Sete Sóis Sete Luas (FSSSL), que marca o 20º aniversário do certame em Cabo Verde (1998-2018).

A XXVI edição do FSSSL, que se iniciou oficialmente no dia 27, no Tarrafal de Santiago no âmbito do projecto “A diversidade cultural cabo-verdiana como instrumento de desenvolvimento do turismo sustentável nas ilhas periféricas”, que culmina este domingo, já percorreu a ilha Brava, Maio, São Filipe (Fogo) e Ribeira Grande (Santo Antão).

A abertura do evento, que teve como palco a Praça Central de Assomada e começou com mais de três horas de atraso, foi recompensada com um “original e incrível” espectáculo de bicicleta acrobática protagonizado por Yldor Llach, artista catalão circense da companhia francesa de circo aéreo acrobático “Les P’tits Brás”, seguindo-se os talentos locais Naty Martins, Cris da Lomba, Vânia e João de Sousa.

O grupo italiano Tammorra, formado em 1992 e que reinterpreta os ritmos, as melodias e as danças da Sicília e das diferentes culturas mediterrânicas, encerrou o primeiro dia do festival por volta da uma hora da manhã deste sábado. O certame “atraiu” um público diversificado e contou com a presença do presidente da câmara de Santa Catarina, José Alves Fernandes, e da vereadora da Cultura, Jassira Monteiro.

O FSSSL prossegue este sábado nos municípios do Tarrafal de Santiago e Ribeira Grande (Santo Antão) e regressa novamente este domingo, 04, ao município de Santa Catarina e vai, igualmente, continuar no Tarrafal.

Em Santa Catarina sobem ao palco no domingo os talentos locais Silvino Tavares e Sílvio Brito e a Espanha faz-se presente com um concerto d’Os Korrontzi, um dos grupos mais conhecidos da música do País Basco.

Já no Centrum Sete Sois e Sete Luas do Tarrafal, onde continuaram as exposições e residência artística, vai chegar este fim-de-semana a gastronomia e a música com o grupo italiano Tammorra.

Segundo a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Santa Catarina, Jassira Monteiro, a edilidade vai aproveitar este evento com projecção internacional para mostrar a sua cultura, gastronomia, gente, as suas maravilhas e, também, promover o turismo e os seus artistas.

“A adesão do município de Santa Catarina a esta rede cultural, da qual fazem parte mais cinco cidades cabo-verdianas e a recepção, pela primeira vez, do Festival Sete Sois Sete Luas, é motivo de orgulho e mostra que estamos a entrar na rota de grandes festivais, como é o Festival Sete Sóis Sete Luas, que tem uma projecção internacional”, disse a autarca, numa recente entrevista à Inforpress.

O evento conta com o apoio da União Europeia e com o alto patrocínio da Presidência da República de Cabo Verde e com a colaboração das câmaras municipais.

O Festival Sete Sóis Sete Luas é uma rede cultural de 30 cidades, de 11 países que privilegiam relações vivas e directas com os pequenos centros e os artistas, uma viagem pelo mundo Mediterrâneo e pelo mundo lusófono, onde os artistas, os operadores culturais e os espectadores participam nas acções de mobilidade internacional.

Desde 2014, com o apoio da União Europeia, um “mais novo e ambicioso passo” foi dado com a criação dos Centrum Sete Sóis Sete Luas em vários municípios, albergando salas de exposições, restaurantes, lojas de produtos de artesanato e pátios culturais, mas, sobretudo, uma variedade de actividades culturais.

Cabo Verde alberga de momento cinco Centrum SSSL, nas ilhas Brava e Maio, nos municípios da Ribeira Grande de Santo Antão, São Filipe, na ilha do Fogo e no Tarrafal de Santiago.

FM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos