Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Festival: Câmara de Santa Catarina lamenta “falta de flexibilidade” da PN para com dois artistas no fim do evento (c/áudio)

Assomada, 21 Nov (Inforpress) – O vereador da Cultura da câmara de Santa Catarina lamentou hoje aquilo que designou de “falta de flexibilidade” da Polícia Nacional (PN), que mandou suspender o certame “por incumprimento de horário”com dois artistas por actuar.

 “Respeitamos porque é lei e não estamos contra. Mas, temos que ser um pouco flexíveis e as coisas não devem ser à letra. Se temos o recinto controlado e faltando apenas dois artistas que eram cabeças-de-cartaz para actuarem temos que ser flexíveis para os deixar subir ao palco, até porque o público estava à sua espera”, declarou o vereador Péricles Brito

Nesse sentido, a mesma fonte pediu ao Governo para levar em conta o facto de muitas pessoas terem ido receber a segunda dose da vacina para poderem participar neste festival de um dia, neste município com taxa de vacinação inferior a 70 por cento (%).

Entretanto, Péricles Brito fez um “balanço positivo” do certame, tendo em conta que o “objectivo principal do festival foi cumprido”, ou seja, sintetizou,  prevenção contra a covid-19.

“O principal objectivo do Festival Nha Santa Catarina 2021 foi cumprido e tivemos uma segurança apertada para averiguarmos quem tem as duas doses da vacina completa para poderem entrar no recinto do festival”, garantiu o autarca.

Relativamente ao atraso de mais de duas horas, Péricles Brito disse que sempre há atrasos nos festivais de música, que passam pela banda entre outros constrangimentos.

E tendo em conta que, segundo ele, todos os que estavam no recinto tinham as duas doses da vacina, disse não entender o porque de a PN mandar suspender uma actividade que estava para terminar, justamente num momento que se está a falar da retoma da economia.

Sobre o uso obrigatório de máscaras, esclareceu que à entrada todos os festivaleiros apresentaram máscaras, mas, no entanto, admitiu que não foi fácil fazer as pessoas usá-las, até porque, informou, muitas ainda pensam que tendo as duas doses não vão ser contaminadas.

Na ocasião, Péricles Brito lembrou que o público ficou insatisfeito por não ter visto os artistas cabeças-de-cartaz, mas prometeu um “festival melhor” no próximo ano.

As vendedeiras, por seu lado, deram “nota negativa” à organização, afirmando que além de as ter deixado sem energia eléctrica nas “barracas de comes e bebes”, a suspensão do certame as 04:43 representou “prejuízos enormes” para os seus negócios.

Por tudo isso, desapontadas, como revelaram, as mesmas, que pagaram uma taxa de 15 mil escudos, sendo 3 mil à câmara municipal e 12 mil ao promotor do evento, Total Service, pediram o reembolso desse montante para suprimir as despesas.

Na mesma linha, as mesmas disseram não entender a decisão da PN, lembrando que recentemente participaram num festival de música em Achada Tenda, no município do Tarrafal, e venderam os seus produtos até ao raiar do sol.

No palco do Festival Nha Santa Catarina 2021, realizado num único dia junto à antiga EMPAactuaram Lito Freire, Helder Sennah, Miguel Semedo, PCC, Bedja KP, Janny Brito e Patrick Brito, MC Acondize e Lavvy.

Buguin Martins e MC Prego Prego não actuaram devido à suspensão do evento.

Além do festival de música, para assinalar o Dia do Município e Santa Padroeira Santa Catarina, que celebra os 187 anos na quinta-feira, 25, foi preparado um leque de actividades culturais e desportivas que arrancaram desde o início de Novembro, que culminam com uma eucaristia na Igreja Baixo, Cruz Grande.

FM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos