Festival Literatura-Mundo: Ilha do Sal como corredor para o “grande salto” dos cabo-verdianos – Filinto Elísio

 

Espargos, 03 Jul (Inforpress) – O organizador da I Edição do Festival Internacional de Literatura, Filinto Elísio, considerou hoje que a ilha do Sal será um dos corredores por onde os cabo-verdianos passarão para dar o “grande salto” para o mundo.

Filinto Elísio fez essas considerações em representação da Rosa de Porcelana Editora, ao fazer o ponto da situação dos preparativos do Festival da Literatura-Mundo do Sal que arranca quinta-feira no Sal e que decorre ao longo de três dias.

Apontando que estruturalmente o festival está armado – faltando apenas tratar alguns detalhes -, informou que os convidados começam a chegar esta terça-feira sendo que o maior contingente, no dia seguinte.

Ciente que todos estarão presentes no arranque da festa da literatura, Filinto Elísio manifesta-se igualmente esperançado com o interesse do público por um tema, tão específico e complexo, que é a literatura-mundo.

“Muitos escritores e críticos virão ao Sal, e a partir do Sal vão discutir diferentes literaturas, não apenas cabo-verdiana, mas estando no Sal, ser uma plataforma global de discussão e de debate. Será uma festa diferente, uma festa de reflexão, mas também de convívio com homens e mulheres da escrita, e que se preocupam, de facto, em posicionar as nossas literaturas, desde logo a cabo-verdiana, para um patamar global, universal”, sublinhou.

Assim, aproveita para convidar todos os salenses e cabo-verdianos a participarem “activamente” nesta festa inaugural da literatura internacional, que homenageia o escritor José Saramago, o único nobel da literatura portuguesa, e o poeta Corsino Forte, fundador e primeiro presidente da Academia Cabo-verdiana de Letras.

Participam nesta edição inaugural 50 escritores de diferentes latitudes, dos quais destacam-se dez autores cabo-verdianos, designadamente Vera Duarte, Arménio Vieira, Jorge Carlos Fonseca, José Luís Tavares, Germano Almeida, Dina Salústio, entre outros.

“O debate promete ser de muito interesse, e o convívio com os escritores, jornalistas e outros convidados, com certeza marcarão um momento especial à ilha do Sal e Cabo Verde”, incentivou Filinto Elísio.

O evento que vai movimentar a ilha a nível de literatura, durante quatro dias, é promovido pela Câmara Municipal do Sal em parceria com Rosa de Porcelana

Editora e a Curadoria José Luís Peixoto, e a Empresa de Segurança Aérea (ASA), enquanto mecenas principal do acontecimento.

José Eduardo Agualusa (Angola), Alexandra Buchner (República Checa), DEjan Tiago Stankovic (Sérvia), Karla Suarez (Cuba), Pilar Del Rio (Espanha), Francisco José Viegas (Portugal), Paulo Lins (Brasil), Eric M.B. Becker (Estados Unidos), Jerónimo Pizarro (Colômbia), Claudine Bertrand (Canadá), Bo-Seon Shim (Correia do Sul) e Inocência Mata (São Tom+e e Príncipe), são os nomes já confirmados, além dos autores das letras cabo-verdianas.

Esta é a primeira edição mas o objectivo, conforme a organização, é marcar a ilha do Sal não só como uma terceira montra cultural “importante” em Cabo Verde, mas também integrar a ilha numa rede mundial de apresentações culturais de um tema “tão actual” como literatura-mundo.

SC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos