Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Festival Kugoma: Rede de cinema e audiovisual dos PALOP-TL procura financiamento para execução de projectos (c/áudio)

Cidade da Praia, 20 Ago (Inforpress) – A rede de cinema e audiovisual dos Países Africanos Língua Oficial Portuguesa-Timor Leste (PALOP-TL) está a redigir projectos para submeter a financiadores internacionais, com vista a realização de várias acções no sentido de promover este sector.

A informação foi avançada hoje à Inforpress pela coordenadora da rede, a cineasta cabo-verdiana Samira Vera-Cruz, que participa hoje num debate que antecede a 11ª edição do Festival Kugoma, de Moçambique, que começa a exibir os filmes seleccionados de 24 a 30 de Agosto.

No debate de hoje, que conta com a presença dos fundadores desta iniciativa, a conversa vai ser a volta dos objectivos, actividades e projectos futuros da rede.

A rede, criada oficialmente em Novembro de 2019, desde início de 2020 é coordenada por Cabo Verde que é constituída por dois pólos, sendo um em Barlavento, coordenada pela cineasta Emília Wijciechowska, e outro em Sotavento, coordenada pela cineasta Samira Vera-Cruz.

A falta de informação nos países e entre os países, a promoção dos filmes, a falta de cooperação e de financiamento foram alguns dos motivos que ditaram a criação desta rede, informou.

“Surgiu numa necessidade de juntarmos e fazermos um mapeamento para sabermos quem está a fazer o quê. Por exemplo, se vou filmar em Angola, vou no site da rede e sei quem é o director de fotografia ou assistente de produção que existe lá e assim conseguiremos colaborar mais facilmente”, precisou.

Na primeira fase da rede, segundo a realizadora, foi feito o mapeamento dos profissionais, de empresas e instituições dos países dos PALOP, faltando apenas no Timor Leste – país onde ainda não há uma representação. Ainda conseguiram um financiamento para a criação de um site da rede.

Neste momento, adiantou, estão a redigir projectos para busca de financiamento para realização de actividades dentro das parcerias que existem entre os festivais e os profissionais de cada país.

A ideia ainda é promover workshops voltados para área de produção e legendagem para poderem promover os seus filmes noutros países.

Pretendem também criar uma plataforma que funciona como ‘FilmFreeway,’ onde poderão ter acesso a biografia e a filmografia de qualquer cineasta.

Ainda, adiantou, através desta plataforma, os cineastas vão poder concorrer e criar alguma competitividade entre eles, no sentido de exporem os seus trabalhos nos festivais parceiros como Platô e Kugoma e em outras partes do mundo.

Os fundadores da rede pretendem ainda, segundo a mesma fonte, impulsionar a co-produção Sul-Sul, motivar o financiamento entre os países e criar uma maior articulação e comunicação entre os PALOP-TL.

“Claro que somos todos países pobres, mas o objectivo é precisamente criar essa comunicação entre os países de forma a termos uma co-produção Sul- Sul”, advogou.

Samira Vera-Cruz mostrou a disponibilidade da rede em colaborar com as associações e instituições que trabalham com este sector em todos os países, assim como está aberta a receber qualquer profissional estrangeiro que reside nos PALOP-TL e que produzem nesses países.

Participam também no debate de hoje, o angolano Mauro pereira, a cabo-verdiana Emília Wijciechowska, e a são-tomense Kátya Aragão.

Na 11ª edição do festival internacional de cinema “Kugoma” de Moçambique foram selecionados para competir cinco filmes cabo-verdianos, sendo de Chissana Magalhães, Mário Vaz Almeida, Abel Monteiro, Guenny Pires e Grace Ribeiro.

Os filmes documentários curtas-metragem “O Amigo da Tartaruga”, “Djassi” e “Na Rota do Cinema Africano” “The Vulcano’s Last Wish” serão assim exibidos nesta edição do festival, que acontece de 24 a 30 de Agosto, em Maputo.

O Kugoma é o festival de cinema moçambicano mais antigo, integrando exibição de filmes, oficinas, master-classes, exibições em escolas e ajuda a promover novos realizadores de Moçambique e de África.

Este ano o Kugoma introduziu o PALOP-TL Upcoming Filmmaker Award em parceria com a Rede Cinema PALOP – TL.

AM/DR
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos