Festival da Gamboa: Praia e vias circundantes desobstruídas e limpas em menos de três horas

Cidade da Praia, 22 Mai (Inforpress) – A menos de três horas depois do encerramento da 28ª edição do Festival da Gamboa, o areal e a rodovia circundante encontram-se desobstruídas e praticamente higienizadas, fruto de campanha de limpeza que recolheu seis toneladas de lixo.

Materializada pela Direcção de Saneamento da Câmara Municipal da Praia, esta ofensiva, segundo a directora deste departamento, Neuza Brito, em declarações à Inforpress, “teve o seu impacto”, já que todo o programa foi elaborado com antecedência, envolvendo uma equipa multidisciplinar, envolvendo 80 trabalhadores, suportado por camiões de entre outros equipamentos.

“O espectáculo, como já se sabe, terminou depois das 09:00 e ainda nem são 12:00 já se vê o resultado. A praia está praticamente limpa, certo que ainda prosseguem os trabalhos da recolha de lixo e limpeza de toda a área. A estrada já está totalmente desobstruída, nas suas duas vias e aberta ao público”, declarou Neusa Brito, que se mostrou realizada com o trabalho da sua equipa.

Quem também se prontificou a manifestar a sua opinião a Inforpress foi o jovem Cláudio Tavares, satisfeito pela forma como os trabalhos prestados pela cervejaria oficial deste evento cultural, que representa, “soube estar à altura” do certame, ressalvando que ao redor do perímetro foram instaladas 45 máquinas de pressão e sequer houve falhas, porque “a manutenção esteve sempre por cima”.

Tavares enalteceu “o civismo” que disse ter verificado nos dois dias do espectáculo, salientando que apesar da “grande moldura humana”, que superlotou o recinto neste último dia, tudo correu “lindamente, não obstante um ou outro desacato”.

“A Cidade da Praia e o público estão de parabéns. O espectáculo, ao longo dos dois dias, foi de grande relevância, os artistas corresponderam. As barracas de comes e bebes estavam para bolsos de todos os gostos”, referiu.

O jovem, que enalteceu a forma “recorde” como a equipa de saneamento “surpreendeu” a todos os transeuntes ao “desobstruir totalmente as duas vias mais movimentadas da capital” e higienização de todo o areal, clamou a Câmara Municipal da Praia no sentido de “fazer os ajustes necessários” para que, contrariamente ao anunciado, esta não seja a última edição do Festival de Gamboa na praia onde nasceu.

“Gamboa é na Gamboa! Na nossa querida zona baixa, na nossa cidade capital. Olha que os coqueiros cultivados na praia ficaram impunes e intactos. Com cerco do tipo, há e continuará a haver espaços para todos os festivaleiros, assim como para os investidores”, concretizou Tavares, num momento em que a sua equipa recolhia os equipamentos instalados para a venda da marca que o contratou.

Também Pedro Correia, motorista profissional numa empresa de transportes urbanos de passageiros, realçou contentamento pela “rápida recuperação da rodovia”, sublinhando que “não contava com esta abertura tão cedo”, razão pela qual disse que “é de se tirar o chapéu” à equipa de saneamento da autarquia pela “rápida prontidão”.

O Festival da Praia da Gamboa, foi retomado depois de um interregno de dois anos, motivado pela pandemia da covid-19 e realizou-se nos dias 20 e 21, envolvendo um naipe de artistas nacionais, residentes e na diáspora, numa homenagem aos irmãos Zezé e Zeca de Nha Reinalda, considerados dois nomes sonantes da música cabo-verdiana, particularmente o funaná.

Orçado em 15 mil contos, de acordo com o presidente da Câmara Municipal da Praia, o Festival da Gamboa 2022, realizado sob o lema “Gamboa ê di nôs tudu” (Gamboa é de todos), foi encerrado depois das 09:00 desta manhã com a actuação da cantora cabo-verdiana, nascida em Portugal, Soraia Ramos, que fechou o certame com a melodia “Bu Ka Bali Nada”.

SR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos