Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Festa de Santa Catarina: Sacerdote pede aos fiéis para terem a santa padroeira como “modelo de vitória” (c/áudio)

Assomada, 25 Nov (Inforpress) – A celebração Eucarística em honra à Santa Catarina, comemorado hoje, foi presidida pelo padre Constantina Bento, que pediu aos fiéis e devotos para terem a santa padroeira como “modelo de vitória”.

Em declarações à imprensa momentos antes da missa, celebrada com presença de sacerdotes de outras paróquias da Diocese de Santiago, o pároco da Paroquia de Nossa Senhora do Socorro, Cidade da Praia, lembrou que Santa Catarina era uma “mulher bela”, mas que descobriu outra beleza – Jesus Cristo – que cultivou e chegou até a “honra do martírio”.

“Estes são os motivos que nos rodeia à volta da Santa Catarina, que hoje é modelo e venerada”, concretizou, pedindo aos católicos para seguirem os seus passos para que assim como ela possam também alcançar a vitória. 

Santa Catarina, que nasceu em 287 d.C, em Alexandria, Egipto, segundo o sacerdote, também viveu numa época de tantas dificuldades, não em meio de pandemia e crises, mas numa altura onde cristãos eram perseguidos e que o imperador mandou matá-la por causa da sua fé e por ter arrastado outros atrás dela.

“Não estamos a ser matados pelos imperadores, mas estamos a ser matados com situações de doenças, calamidades, crises e economia com dificuldades. Assim como Santa Catarina venceu, temos a esperança que o povo cabo-verdiano com sua força vai também vencer”, vaticinou o presbítero.

Nesse sentido, encorajou todos os fiéis para olharem para Santa Catarina nesse tempo da pandemia e para correm atrás dela, afirmando que assim como “Deus não deixou perder nenhum passarinho, não nos vai deixar perder, porque valemos mais que os passarinhos”.

Por outro lado, disse que Santa Catarina é uma mulher que simboliza a mulher cabo-verdiana, e acompanhou-a desde o princípio, lembrando que a primeira ilha a ser povoada Santiago e a segunda a do Fogo têm Santa Catarina.

Ou seja, acrescentou, Santa Catarina acompanhou a mulher cabo-verdiana na sua luta pela emancipação e sempre com um coração virado para Deus.

Os devotos, depois de terem seguido a santa na procissão desde a capela de Santa Rita de Cássia, no Hospital Santa Rita Vieira, até ao largo do Centro Paroquial do Calvário, onde decorreu a santa missa, por causa das obras na Igreja de Santa Catarina, pediram o fim da pandemia da covid-19, chuva, paz e saúde, tendo prometido voltar para pagar e renovar as promessas no próximo ano.

Os santa-catarinenses, sobretudo os das localidades como Cabeça Carreira, Cruz Grande, Mancholy, Banana Semedo e arredores, por seu lado, garantiram que este ano com a pandemia “praticamente controlada” que as suas portas vão estar à semelhança dos outros anos abertas para receberem os convidados para o tradicional almoço.

A eucaristia que foi transmitida nas redes sociais, e que respeitou as recomendações das autoridades sanitárias, nomeadamente o distanciamento físico e uso de máscaras, contou com a presença de entre outras autoridades da presidente da câmara, Jassira Monteiro, e do Presidente da República, José Maria Neves.

Para assinalar o Dia do Município e Santa Padroeira Santa Catarina foi preparado um leque de actividades culturais e desportivas que arrancaram desde o início de Novembro.

FM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos