Festa de Santa Catarina: Bispo Arlindo Furtado pede aos fiéis para tirarem lição da vida da santa padroeira

Assomada, 25 Nov (Inforpress) – O bispo da Diocese de Santiago, Dom Arlindo Furtado, pediu hoje aos fiéis e devotos da Santa Catarina para tirarem lição da vida da padroeira que foi exemplo de “fidelidade à Deus e ao evangelho”.

Na homilia, o prelado que lembrou alguns momentos marcantes da vida de Santa Catarina, que nasceu a 287 d.C, em Alexandria, Egipto, fez ainda “breves referências” às três leituras da solenidade que, a seu ver ajudam a contextualizar a vida da santa padroeira, celebrada hoje.

Na missa celebrada com presença de sacerdotes de outras paróquias da Diocese de Santiago, o cardeal Dom Arlindo Furtado lembrou ainda que a santa teve uma “formação sólida, com uma personalidade distinta e que teve a sorte de descobrir, conhecer e aperceber como que Jesus é o seu tesouro maior”.

Destacou ainda o facto de a mesma ter percebido que assim como ela os outros também são chamados a descobrir e a assumir o mesmo tesouro que é Jesus.

Nesse sentido, avisou que os cristãos têm que tomar consciência que, quem não der Deus aos outros ainda não deu o suficiente, tendo pedido mais uma vez aos presentes para serem exemplo da santa que percebeu isso e deu a conhecer Jesus aos outros.

Aliás, lembrou que por ter procurado dar a conhecer Jesus e por causa da sua fé que Santa Catarina foi “perseguida, oprimida, maltratada e martirizada”, mas que, apesar de tudo isso que a mesma continuou “sempre firme” e não “sentiu esmagada, desesperada, abandonada e aniquilada”.

Ou seja, ajuntou que a mesma perante tudo isso optou por dar à sua vida por Jesus, para quem era o “tesouro maior”.

De resto, aconselhou os fiéis para seguiram os passos e exemplo de Santa Catarina para darem a sua vida para a verdade que é Jesus, e ainda para o “o bem, para o amor, para fraternidade e para comunhão e perdoando os outros como Jesus perdoou.

E no dia em se assinala o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, o bispo pediu a todas as pessoas para tratarem uns aos outros como irmãos e irmãs assim como os ensinamentos de Jesus, ou seja, para viverem na “fraternidade e num bom relacionamento”.

Nesse sentido apelou à “não violência” não só contra as meninas e mulheres, mas contra qualquer pessoa e ainda contra a natureza.

Assim como os demais devotos da santa, Maria Mascarenhas, que hoje também estava no papel de juíza de festa, pediu à “santa dos emigrantes” o fim da pandemia de covid-19, que segundo ela, por causa disso muitos não vieram este ano para esta festa que todos os anos reunia milhares de fiéis de toda a ilha de Santiago e não só.

Os santa-catarinenses, sobretudo os das localidades como Cabeça Carreira, Cruz Grande, Mancholy, Banana Semedo e arredores que todos os anos abriam as portas das suas casas para receberem os convidados de vários municípios da ilha Santiago depois da missa, confessaram que este ano devido à covid-19 que fizeram um almoço apenas para familiares próximos.

A missa, que todos os anos reunia no largo da Igreja de Santa Catarina, em Cruz Grande, milhares de féis de toda ilha de Santiago e não só para esta celebração religiosa, sobretudo, com uma forte presença de emigrantes, este ano, por causa da pandemia e por causa da obra na Igreja Matriz a eucarística decorreu com algumas “limitações”.

No entanto, a eucaristia que teve como palco o largo do Centro Paroquial do Calvário e que também foi transmitida nas redes sociais, respeitou as recomendações das autoridades sanitárias, nomeadamente o distanciamento físico, uso de máscaras, e higienização das mãos com álcool gel.

Este ano por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19), não foram realizadas actividades desportivas e os dois dias do Festival Nha Santa Catarina, destaque da festa.

No entanto, para assinalar o dia 25 de Novembro, Dia do Município de Santa Catarina e da sua santa padroeira, a edilidade realizou no passado sábado a sexta edição do FestiGuitarra em homenagem a Luís Rendall, com transmissão online.

Para hoje, o ponto alto da festa foi eucaristia na Igreja Baixo, Cruz Grande, mas, as actividades comemorativas vão culminar com mais uma Feira das Artes aprazado para os dias 27 e 28 de Novembro, que terá como palco o Centro Cultural Norberto Tavares (CCNT), em Assomada.

FM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos