Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Feira Expomar começa hoje – pela primeira vez empresa do Mali entre os expositores (c/áudio)

Mindelo, 25 Nov (Inforpress) – A feira Expomar arranca hoje no Mindelo e terá 40 expositores e 70 stands, um dos quais com a estreia de uma empresa da sub-região africana, mais concretamente do Mali, ligada a negócios, gestão e logística marítima.

Sob o lema “ Nosso oceano, fonte de riqueza e bem-estar”, a VIII a edição da Feira Monográfica, Náutica e Pesqueira da CVOW (Expomar), que acontece nas instalações da FIC, este ano estará associada a Cabo Verde Ocean Week (CVOW), enquanto vertente expositora.

Em entrevista à Inforpress, o presidente do conselho de administração da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), Gil Costa, explicou que se decidiu associar estes dois eventos com o objectivo de potenciar as suas mais-valias.

“Vamos concentrar-nos tão-somente na vertente expositora. Com isto, queremos potenciar ainda mais o evento, trazendo as pessoas que vêm de propósito para o CVOW para visitar a feira, realizar negócios para que na próxima edição também possam expor,” clarificou Gil Costa.

Segundo a mesma fonte, nesta edição conjunta a taxa de ocupação da feira já se revela “praticamente metade” daquilo que tem sido a da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), que tem um historial de 23 anos.

Dos 40 expositores que participam, avançou,  a maioria são cabo-verdianas, mas há outros portugueses e brasileiros, empresas de capital espanhola, registadas em Cabo Verde, e também há um do Mali, que estará pela primeira vez no Expomar, graças à pareceria CVOW.

Gil Costa afirmou que as empresas que costumam participar na Expomar continuam a reputar o evento de “extrema importância e estratégica” para os seus negócios.

No entanto, ressalvou que muitas vezes a participação delas acontece de forma alternada. Isto é, clarificou, de dois em dois anos, sobretudo, devido a questões de foro financeiro porque a maior parte são pequenas e médias empresas.

Para o presidente do conselho de administração da FIC, sendo a Expomar uma feira “embrionária” a sua realização “só tem sido possível” devido ao “engajamento” dos parceiros institucionais e comerciais.

A título de exemplo, disse que uma empresa paga por um stand na Expomar 33 mil escudos mais Imposto Sobre Valor Acrescentado (IVA), enquanto na FIC paga-se três vezes mais.

Mesmo assim, garantiu que a qualidade que oferece aos expositores nos dois eventos é a mesma.

“O custo de participação que as empresas estão a suportar no Expomar não é o custo real, porque se reparar nós damos à essa feira a qualidade idêntica à qualidade da FIC,” defendeu lembrando que a Expomar é um evento que está a dar os seus primeiros passos.

Por isso, conforme Gil Costa, o objectivo é conseguir criar uma sustentabilidade, junto com os parceiros, para que o evento possa acontecer e no futuro possa tornar-se sustentável.

Instado a falar sobre o retorno que a Expomar tem dado às empresas durante essas oito edições, Gil Costa disse que as participantes cabo-verdianas têm a oportunidade de mostrar o seu potencial e o que são capazes de fazer.

Da mesma forma que, ajuntou, as empresas estrangeiras chegam com um plano estratégico para ver o que é que o país é capaz de fazer aos seus navios, além de procurar outros interesses em Cabo Verde.

A isso, adiantou a mesma fonte, junta-se ainda os encontros de negócios, os momentos de capacitação e de partilha de conhecimento, através da discussão de temas de “interesse e de relevância científica e legal.”

CD/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos