Federação Internacional promete defender os direitos da comunidade LGBTI em Cabo Verde

Cidade da Praia 26 Mai (Inforpress) – A Presidente da Federação Internacional do Planeamento Familiar (IPPF) Kate Gilmore, que se solidarizou com a comunidade LGBTI em Cabo Verde, prometeu hoje, na Cidade da Praia, trabalhar com o Governo na defesa dos direitos da classe.

Kate GILmore fez este comprometimento à imprensa, à margem do encontro que manteve hoje com o secretário de Estado Adjunto do ministro da Saúde, Evandro Monteiro, com o propósito de se inteirar dos progressos e desafios do País em matéria de promoção dos direitos dos adolescentes e jovens, homens e mulheres no acesso à saúde sexual e reprodutiva.

A presidente da IPPF avançou que nesta sua visita a Cabo Verde já conversou muito com os jovens, principalmente com os lésbicos, gays, bissexuais, transgéneros, sobre os seus direitos e o quanto querem contribuir para o desenvolvimento e progresso de Cabo Verde.

A responsável observou que, por vezes, sentem estigmas, discriminação e falta de oportunidades para trabalho e educação, tendo defendido que todos, “sem excepção”, têm direitos humanos, direito à informação, educação, de participar na vida da comunidade, independentemente da sua orientação sexual, cor da pele e idade.

“E nós prometemos às pessoas cabo-verdianas que se identificam como lésbicas, gays, transgeneros, bissexuais, que vamos colocar ombro a ombro com eles em solidariedade e prometemos que, claro, trabalhando com o Governo e Verdefam, defender os seus direitos”, comprometeu-se.

Kate Gilmore citou ainda uma mensagem da comunidade LGBTI que classifica de corajosa: “Amor é amor, ser amado livremente”, tendo ressalvado que vai levar esta mensagem com ela, para o seu trabalho e à volta do mundo.

Quanto à saúde sexual e reprodutiva em Cabo Verde, a presidente da IPPF avançou que abordou o assunto com o primeiro-ministro e “sentiu o seu suporte” em elevar a saúde sexual reprodutiva, em particular às pessoas com deficiência e que têm dificuldade em ter acesso a planeamento familiar, à educação sexual e aaos seus direitos reprodutivos.

“O primeiro-ministro falou da estratégia e plano nacional para que as pessoas com deficiência atinjam a liberdade, e para o IPPF é um compromisso super importante e vamos trabalhar com o Governo para elevar a dignidade e a saúde reprodutiva a todas as pessoas de Cabo Verde”, concluiu.

TC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos