FECAD pede melhores condições de acessibilidade para a promoção da inclusão social

Cidade da Praia, 14 Dez (Inforpress) – O vice-presidente da Federação Cabo-verdiana das Associações de Pessoas com Deficiência (FECAD) considerou hoje importante a aposta de melhores condições de acessibilidade, para promoção da inclusão social.

António Melo fez essa intervenção durante o acto de assinatura do protocolo entre a FECAD, a Ordem dos Arquitectos de Cabo Verde (OAC) e Ordem dos Engenheiros de Cabo Verde (OECV), na Cidade da Praia.

“Esse protocolo tem uma importância grande para a FECAD, porque trabalhamos com as associações que se esforçam para a promoção dos direitos e deveres das pessoas com deficiência e a inclusão tem que passar pela acessibilidade”, considerou.

Disse que no âmbito das acções da FECAD, têm no momento quatro “projectos importantes” no contexto da acessibilidade e inclusão, nomeadamente, o Centro de Reabilitação e Cuidados, mudanças climáticas, financiado pelo PNUD, um programa sobre o vírus VIH e o ACCEDERE, que conta com o financiamento da União Europeia, em 39 mil contos.

O bastonário da OAC, António Bettencourt, por sua vez, referiu que a assinatura do protocolo é um momento de reflexão, tratando-se da garantia de acessibilidade para todos e não somente as pessoas com deficiência.

“Este é um processo que nos toca a todos, estamos engajados a construir a sociedade do futuro e o que depender a ordem, iremos incluir esse protocolo nas nossas actividades e acções para levarmos muito mais a frente e fazermos da vossa voz, a nossa voz, em prol dessa sociedade”, defendeu.

Já o bastonário da OECV, Victor Coutinho, defendeu a necessidade de uma análise na lei que protege e garante os direitos das pessoas com deficiência.

“Temos que dar um salto a nível legislativo, visto que a lei foi bem-vinda, mas ela é muito genérica”, referiu, sustentando a necessidade de se fixar um prazo para que, “pelo menos, os edifícios públicos estejam em conformidade com a lei”.

A assinatura deste protocolo vincula as três partes no processo de sensibilização dos arquitectos e engenheiros para a promoção de acessibilidade nos seus projectos urbanísticos e rurais.

HR/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos