FCF assinala quinto aniversário dos “Tubarões Azuis” no CAN’2013 com homenagem ao grupo de trabalho

 

Cidade da Praia, 26 Dez. (Inforpress) – A direcção da Federação Cabo-verdiana de Futebol vai assinalar, em Janeiro, o quinto aniversário da primeira participação de sempre da selecção de Cabo Verde numa fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN’2013), na África do Sul.

Mário Semedo avançou à Inforpress que a ocasião vai ser aproveitada para distinguir esta efeméride enquanto “um momento alto do futebol cabo-verdiano”, por ter marcado a primeira participação de Cabo Verde na montra maior do futebol africano e ainda mais ante a África do Sul, na qualidade do país anfitrião da Copa d’África’2013.

Para o líder federativo, é de toda a justiça reconhecer e homenagear este grupo de trabalho, isto é, jogadores “staff”, equipa técnica, mas também todas as pessoas e instituições que contribuíram para o êxito da participação cabo-verdiana no CAN’2013.

Pretende-se, com esta homenagem simbólica, atribuir um diploma de reconhecimento e confecção de alguns produtos de “marchandise” alusivos a esse facto, de forma a reconhecer e agradecer a todos que dignificaram a prestação de Cabo Verde nessa prova.

Na sua primeira participação de sempre numa fase final do CAN, 29ª edição, Cabo Verde dividiu o grupo A com os anfitriões sul-africanos, Marrocos e Angola, tendo qualificado para quartos-de-finais, cujo acesso à meia final foi perdida para o combinado nacional do Gana, num “penalti polémico” que ditou a passagem dos ganeses.

Segundo Mário Semedo, a ocasião irá servir, igualmente, para recuperar o ambiente, a cultura e a amizade do grupo que se vivia nessa altura, considerados elementos “importantes” para o sucesso dos “Tubarões Azuis”, nome por que é conhecida a selecção de Cabo Verde.

Acredita Semedo, que esta homenagem contribuirá, grandemente, para recuperar o prestígio da selecção de Cabo Verde de futebol, numa altura em que a nova equipa saída da última assembleia-geral electiva encontra-se “a arrumar a casa e a inteirar-se dos “dossiês” existentes, para que se possa “arrancar com toda a força em 2018”:

Adianta ainda que, em 2018, a FCF tem pela frente vários desafios e compromissos, pelo que a direcção terá de tomar decisões o mais rápido possível “para não pôr em causa o futuro da selecção nacional de Cabo Verde”.

Depois de um período conturbado na FCF, que culminou com a destituição da anterior equipa directiva, liderada por Victor Osório e que ditou a realização de uma nova assembleia que recolocou o anterior presidente na direcção, Mário Semedo disse que se está a criar as condições, mas que o que a FCF é hoje certamente não é sequer o que recebeu na altura da sua primeira eleição.

“Se numa situação complicadíssima conseguimos, de facto, erguer tudo isto, penso que também temos condições para fazer um trabalho que contribua para o engrandecimento, ainda mais, da FCF e do futebol nacional. Até porque temos uma equipa de pessoas com muita experiência a nível do dirigismo para recuperar alguma coisa”, asseverou.

SR/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos