Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

FAO diz que desmatamento continua à escala global mas, em ritmo mais lento

Mindelo, 13 Mai (Inforpress) – A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) disse hoje que o desmatamento continua à escala global, embora a um ritmo mais lento, com 10 milhões de hectares por ano convertidos para outros fins desde 2015.

De acordo com as principais conclusões da Avaliação Global dos Recursos Florestais 2020 (FRA 2020) divulgadas pela FAO, nos últimos cinco anos, observa-se uma diminuição de 12 milhões de hectares por ano.

A publicação interactiva intitulada “Uma Nova Perspectiva: Avaliação Global dos Recursos Florestais 2020” informa ainda que existem hoje 4,06 mil milhões de hectares de floresta, o equivalente a 0,52 hectares para cada pessoa no planeta Terra. Numa base líquida, incluindo as expansões florestais, a área florestal mundial diminuiu 4,7 milhões de hectares por ano desde 2010.

O mesmo documento observou que quase um terço da superfície terrestre mundial é coberto por florestas, que proporcionam uma grande quantidade de materiais, serviços, conforto estético e apoio a milhões de meios de subsistência.

“As florestas são uma grande parte das nossas vidas e podem ser vistas nos nossos alimentos, no mobiliário doméstico e no ar mais limpo que respiramos graças à sua presença, pelo que temos de trabalhar mais e em conjunto nos sectores da silvicultura e da agricultura, para abrandar mais rapidamente a desflorestação”, afirmou Maria Helena Semedo, directora-geral adjunta da FAO, Clima e Recursos Naturais.

A responsável salientou que “é muito bem-vindo saber que cada vez mais áreas florestais estão sujeitas a planos de gestão a longo prazo, essenciais para se alcançar o Objectivo 15 de Desenvolvimento Sustentável”, lembrando que esse ODS apela à protecção, restauração e promoção do uso sustentável dos ecossistemas terrestres, ou seja, à promoção da “vida em terra”.

O relatório diz ainda que a Avaliação Global dos Recursos Florestais é uma componente essencial dos 15 indicadores-chave, sob a tutela da FAO, uma vez que compila dados oficiais sobre as tendências percentuais da superfície florestal e os progressos na gestão sustentável das florestas. Actualmente, 2,05 mil milhões de hectares de florestas, mais de metade do total, estão sujeitos a planos de gestão.

“A Avaliação Global dos Recursos Florestais é uma visão abrangente das florestas mundiais e um instrumento crítico na formulação de políticas, práticas e investimentos sólidos”, afirmou Mette Wilkie, directora da Divisão de Política Florestal e Recursos Florestais.

Mette Wilkie saudou “a excelente colaboração” entre a FAO e uma rede global de mais de 700 especialistas que, em conjunto, harmonizaram métodos e examinaram mais de 60 factores em 236 países e territórios para produzir a avaliação.

O documento salienta ainda que um  aspecto positivo captado pela nova avaliação é que a área de floresta em áreas protegidas a nível mundial aumentou 191 milhões de hectares desde 1990 e que  agora 18 por cento (%) das florestas mundiais estão localizadas dentro de áreas protegidas, sendo a América do Sul o lar da maior parte delas.

“Isso significa que o mundo cumpriu e ultrapassou, no que concerne às florestas, o objectivo da biodiversidade de Aichi que consiste em proteger pelo menos 17% da área terrestre até 2020”, afirmou Anssi Pekkarinen, especialista florestal sénior da FAO, que coordenou a avaliação.

CD/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos