FAO destaca importância do projecto OYA na criação e melhorias de condições de vida e emprego dos jovens e mulheres

Cidade da Praia, 18 Jun (Inforpress) – A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) destacou, hoje, a importância do projecto OYA na criação e melhoria de condições de emprego e de vida dos jovens e mulheres do sector do agronegócio em Cabo Verde.

O realce foi feito pela assistente da representante da FAO em Cabo Verde, Katya Neves, em declarações à imprensa, à margem do workshop “Oportunidades para Jovens em África (OYA): Acelerando a criação de empregos em Agricultura e Agronegócios”, realizado esta sexta-feira, na Cidade da Praia.

Segundo esta responsável, o evento serviu para apresentar um estudo de base que foi feito para identificar as possíveis cadeias de valores onde possam existir oportunidades de negócios essencialmente para jovens e mulheres.

“O estudo representa um levantamento de base de todas as cadeias de valores que existem, algumas foram identificadas, seleccionadas e estão a ser apresentadas como tendo potencial para o desenvolvimento e a criação de emprego jovem. E este estudo está sendo apresentado aos parceiros, que contribuíram para a sua realização para juntos seleccionarmos as cadeias com base em critérios pré-definidos”, afirmou.

Após a apresentação dos resultados, prosseguiu, será realizado um plano de acção de emprego jovem com actividades próprias com base nas cadeias de valores seleccionadas pelos parceiros, destacando que o referido plano terá acções concretas na área da capacitação e desenvolvimento técnico e apoio às instituições.

Conforme avançou, já foi mobilizado financiamento junto dos parceiros para a realização das primeiras actividades, adiantando que a previsão é para que o referido plano de acção esteja concluído em finais de Julho.

Por sua vez, o coordenador nacional da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido), Edson Fernandes, afirmou que o estudo apresentado confirma muito aquilo que Cabo Verde e as agências das Nações Unidas já tinham previsto, no que se refere à identificação das cadeias de valores com maior dinâmica e volume no contexto cabo-verdiano.

“Este projecto é para implementarmos melhorias na vida das pessoas sobretudo dos jovens e mulheres que trabalham no sector do agronegócio e agricultura, portanto, esta é a fase inicial. O projecto prevê três componentes grandes, a nível macro que se refere a políticas e regulação, a nível meso, que intervém na melhoria das cadeias de valores e a nível micro a nível de capacitação dos nossos jovens e mulheres e das nossas micro e pequenas empresas”, explicou.

A FAO e a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI) desenvolveram, em parceria, o Programa Regional “Oportunidades para Jovens em África (OYA): Acelerando a criação de empregos em Agricultura e Agronegócios”.

A iniciativa visa dar resposta a um apelo feito durante a Conferência de 2018 sobre Emprego de Jovens na Agricultura, co-organizada pela União Africana, o Governo do Ruanda e a FAO, em Kigali, Ruanda.

O Programa OYA é de âmbito continental, sendo implementado em seis países (Tunísia, Cabo Verde, Gana, República Democrática do Congo, Quénia e Zâmbia), e apresenta uma abordagem integrada para a criação de empregos de qualidade no mundo rural e nos centros urbanos e periurbanos, de oportunidades de trabalho autónomo para jovens africanos na agricultura e no agronegócio.

Este programa destaca o papel central da agricultura para o desenvolvimento da África, ao mesmo tempo que enfatiza a necessidade de capacitação contínua da juventude africana para ser o motor desse crescimento.

CM/ZS

Inforpress/Fim.

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos