Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Família do escritor Luís Romano doa medalha e certificado à Academia Cabo-verdiana de Letras

Cidade da Praia, 12 Nov (Inforpress) – A família do escritor cabo-verdiano Luís Romano, falecido há 10 anos, doou hoje, à Academia Cabo-verdiana de Letras (ACL), as medalhas e certificados desta figura considerada um dos prestigiados e imortais da literatura cabo-verdiana.

Para o presidente da Academia Cabo-verdiana de Letras, Daniel Medina, trata-se de um gesto de grande simplicidade e de humildade de um homem extremamente simples, extraordinária como um grande engenheiro, humanista e escritor, mas com uma argucia extraordinária.

Considerou que Luís Romano é um dos imortais na literatura cabo-verdiana, com uma grande relevância no que diz respeito à língua portuguesa, que viveu cerca de 50 anos no Brasil e publicou um livro de referência denominado “Famintos”, obra essa que era reivindicativo e apelativo para questões políticas e sociais na altura das grandes fomes.

Segundo o presidente Daniel Medina, Luís Romano recebeu algumas condecorações do Governo de Cabo Verde e do Brasil e deixou em testamento que os seus livros e condecorações fossem enviados para o arquipélago.

Daniel Medina adiantou que as obras vão ficar na Biblioteca Nacional e que as condecorações ficarão da Academia.

Em representação do Brasil, o embaixador cessante, José de Araújo Leitão considerou que Luís Romano era um grande escritor e engenheiro, que viveu grande parte da sua vida no Brasil onde criou uma grande carreira literária.

Em representação da família do escritor, Dolores Medina de Vasconcelos mostrou-se muito emocionada e disse que decidiram doar todo o seu acervo à ACL porque era essa a vontade do Luís Romano.

Durante a cerimónia foi feita a entrega oficial das condecorações e a celebração da reedição do livro “Famintos”.

Luís Romano (1922/2010) foi um escritor cabo-verdiano que várias vezes foi referenciado na imprensa brasileira, sempre com respeito e distinção.

Modesto como era, Romano considerava o seu papel histórico na literatura cabo-verdiana apenas como um mérito de pertencer à Associação dos Escritores Cabo-verdianos.

O escritor deixou uma vasta obra literária, que se reparte pelos mais variados géneros: ficção (contos e romance), poesia, investigação, ensaio e divulgação analítica.

AV/HF

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos