FAC assinala aniversário de nascimento de Amílcar Cabral com ‘conversa aberta’ com o presidente da fundação

Cidade da Praia, 11 Set (Inforpress) – A Fundação Amílcar Cabral promove este sábado uma ‘conversa aberta’ com o presidente da fundação, Pedro Pires, para assinalar 96º aniversário de nascimento de Amílcar Cabral.

Em declarações à Inforpress, o comandante Pedro Pires asseverou que tendo em conta o contexto da pandemia de covid-19, este ano as actividades comemorativas do aniversário de Amílcar Cabral, pai da nacionalidade cabo-verdiana, estão condicionadas, mas que não passarão despercebidas.

Conforme lembrou, a Fundação Amílcar Cabral, no âmbito do aniversário de nascimento do seu patrono, realizou uma formação ‘online’ de “Iniciação sobre a Luta de Libertação Nacional”, cuja cerimónia de encerramento está prevista para sábado, 12.

Durante a formação foram ministrados cursos sobre a História dos Impérios europeus em África no século XX, as lutas pelas independências dos territórios africanos sob domínio europeu e a situação específica das então colónias portuguesas da Guiné e de Cabo Verde no pós 2ª Guerra Mundial e a trajectória de vida de Amílcar Cabral.

Foram ainda abordados temas como “O PAIGC e a luta pela independência: a luta clandestina, a luta armada, a frente diplomática, os dirigentes, a participação das mulheres, as regiões libertadas (saúde, educação, comércio, milícias) e “A independência da Guiné-Bissau e de Cabo Verde”.

O objectivo desta acção, é fazer com que as pessoas possam conhecer melhor a história do seu país, compreender melhor a sociedade actual, a identidade do povo cabo-verdiano, a história do colonialismo português e a luta de libertação de Guiné-Bissau e Cabo Verde.

Amílcar Cabral nasceu a 12 de Setembro de 1924 em Bafatá, Guiné Conacri, filho de Juvenal Cabral e Iva Pinhel Évora. Cabral foi poeta, agrónomo, e “pai” da independência conjunta de Cabo Verde a 5 Julho de 1975 e Guiné-Bissau oficialmente a 10 Setembro de 1974.

Cabral partiu para Cabo Verde com apenas oito anos, acompanhado a sua família. Enquanto estudante, conseguiu uma bolsa de estudos para ingressar na universidade onde estudou Engenharia Agrónoma, no Instituto Superior de Agronomia, em Portugal.

Foi dentro da sua “nova” vida universitária que Cabral começou a envolver-se mais com as ideologias oposicionistas e fundou o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), em 1956.

A 20 de Janeiro de 1973, o fundador do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC, actual Partido Africano da Independência de Cabo Verde — PAICV) Amílcar Cabral foi assassinado na Guiné-Conacri, a oito meses da declaração de forma unilateral, da independência da Guiné-Bissau.

CM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos