Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Executivo de Macau satisfeito com resposta ao tufão Mangkhut mas quer melhorias

Macau, China, 18 Set (Inforpress) – O chefe do executivo de Macau, Fernando Chui Sai On, elogiou hoje os trabalhos de prevenção e resposta ao tufão Mangkhut, ao passo que definiu novas prioridades, nomeadamente o reforço das infra-estruturas básicas.

“Todos os membros da estrutura [civil] mostraram o seu profissionalismo. Estávamos preparados para, em conjunto, combater esta tempestade” e “a própria consciência da população subiu”, exaltou Chui Sai On, numa reunião esta tarde no Centro de Operações da Protecção Civil.

Para o líder do Governo, o mais importante foi a “ausência de vítimas mortais”, num momento em que o último balanço aponta para 40 feridos. No ano passado, o tufão Hato, apesar de se caracterizar pela mesma intensidade do Mangkhut, tinha provocado dez mortos e 240 feridos.

“Não podemos reverter os danos provocados pelas calamidades naturais, mas podemos envidar todos os esforços para que os danos humanos possam ser reduzidos”, frisou.

Neste sentido, e apesar de assinalar um balanço positivo na resposta ao último tufão, Chui garantiu que há, ainda, um longo caminho a percorrer.

“Temos de reforçar as infra-estruturas e acelerar, com a China interior, a concretização do plano da construção da barragem de marés, além de intensificar a formação da própria equipa nesta área”, disse, definindo assim três prioridades.

O tufão Mangkhut, considerado o pior do ano, causou pelo menos 74 mortos na sua passagem pelas Filipinas, quatro na província de Guangdong, no sul da China, e um em Taiwan, de acordo com o último balanço oficial das autoridades.

Durante a passagem em Macau, que obrigou à emissão do sinal 10 de tempestade tropical, o alerta máximo, os serviços de saúde mobilizaram 580 profissionais que, durante 26 horas, providenciaram atendimento médico de emergência, prestação de cuidados normais de saúde (incluindo o Posto de Urgência das Ilhas) e internamento hospitalar.

Ao todo, as autoridades retiraram um total de 5650 cidadãos das zonas baixas e 1346 pessoas recorrerem aos 16 centros de abrigo de emergência.

Para apoiar os comerciantes, empresas ou clientes particulares de Macau afectados pelo tufão Mangkhut, o Banco Nacional Ultramarino (BNU) lançou hoje um programa especial de empréstimos.

No caso das pequenas e médias empresas, o objectivo é ajudá-las a “retomar uma gestão sustentável” e a “reduzir a pressão operacional”, lê-se no comunicado divulgado hoje pelo banco, do grupo Caixa Geral de Depósitos.

Aos clientes particulares, o BNU disponibiliza empréstimos para apoiar na reconstrução das casas ou carros danificados, refere a mesma nota.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos