Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ex-coordenador sindical do SIACSA anuncia criação de novo sindicato em São Vicente

Mindelo,18 Fev (Inforpress) – O ex-coordenador do Sindicato de Indústria Geral, Alimentação, Construção Civil, Agricultura e afins (SIACSA), em São Vicente, Jailson de Aguiar, disse hoje que criou um novo sindicato na ilha para debelar a “inoperância dos sindicatos” existentes na ilha.

Em conferência de imprensa, Jailson de Aguiar, que esteve sete anos como coordenador do SIACSA, em São Vicente, explicou que o novo organismo chama-se Sindicato da Indústria, Serviços, Turismo, Comércio, Empresas Públicas e Privadas (SISTCEPP) e é constituído por 24 pessoas, sendo 11 pertencentes à direcção.

A mesma fonte, a acrescentou que o grupo decidiu criar o sindicato por causa problemas laborais e a inoperância dos sindicatos existentes na ilha.

“Há muitos problemas laborais em São Vicente. E, como vimos que os sindicatos estão com muita inoperância em relação aos seus associados decidimos fazer o nosso sindicato e tentar estar mais próximo de trabalhadores”, esclareceu.

O líder do novo sindicato avançou ainda que já recolheram assinaturas que serão anexadas ao novo estatuto e entregues ainda esta semana na Inspecção-Geral do Trabalho em São Vicente para parecer jurídico, assim como manda o artigo 70º do Código Laboral.

“Basta entregar, podemos accionar a Convecção n º 87 da OIT, podemos sindicalizar ou esperar porque as vezes demora”, avançou Jailson de Aguiar, que disse que ainda não pode revelar se vão filiar-se na Confederação dos Sindicatos Livres (CCSL) ou na União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS).

Segundo a mesma fonte o objectivo deste novo sindicato é estar mais perto dos trabalhadores, “promover o diálogo e instruí-los, para saberem que não têm só direitos, também têm deveres”.

Lembrou que um trabalhador “mal instruído tem problemas também com o seu patrão”, pelo que vai começar com acções em São Vicente para depois pensar e expandir-se a nível nacional.

Instado sobre a sua desvinculação do SAICSA, após sete anos, Jailson de Aguiar disse que saiu do sindicato porque “não teve apoios, acabou por desentender-se com a direcção e pediu demissão”.

Afirmou que com o seu trabalho no SIACSA “muita coisa melhorou” em São Vicente mas, o presidente daquele sindicato estava “muito afastado da ilha”.

CD/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos