“Evel Rocha” volta a colocar mais uma pedra no edifício literário com “Cisne Branco”

 

Espargos, 08 Jul (Inforpress) – O escritor “Evel Rocha” lança esta tarde e em primeira mão, a sua mais recente criação literária, intitulada “Cisne Branco”, numa cerimónia integrada na programação do Festival Internacional de Literatura-Mundo, que decorre no Sal, há três dias.

A apresentação sob a responsabilidade de Fátima Fernandes, acontece logo à tarde, a partir das 18:30 num dos hotéis da cidade turística de Santa Maria.

Em declarações à Inforpress, o autor Ildo Rocha que adopta o pseudónimo, “Evel Rocha” explica que “Cisne Branco” retrata a estória de uma jovem que tenta fugir à miséria da sua ilha, a ilha do Sal, o meio onde ela vive, tenta triunfar-se de todas as formas, consegue até fazer uma formação superior, mas nunca consegue libertar-se da miséria moral.

Trata-se de um romance com cerca de 230 páginas. Escrito, disse, num espaço de cinco meses.

“Esta é uma obra que me deu muito prazer em escrever por ser escrito no feminino e por retratar a realidade da sociedade”, manifestou.

Questionado sobre a razão do título, Evel Rocha disse que o nome é simbólico, entretanto, a personagem do livro, uma jovem que procura por todos os meios renascer e vencer ao domínio dos preconceitos e da masculinidade, vê no cisne a sua própria imagem.

“O desejo de ‘voar’ bem alto e, não podendo, tenta redimir-se no canto do cisne a sua última oportunidade de realizar seu sonho. Apesar de ser ficção, é uma história baseada na vida real”, conta o escritor e ex-vereador da Cultura da Câmara Municipal do Sal.

Evel Rocha é considerado um poeta portador de valores como o amor, a verdade, a justiça, a injustiça (…), enfim uma escala de valores que diz respeito à condição humana.

Para além do “Cisne Branco” que agora dá à estampa, o escritor tem mais dois livros prontos a serem publicados, sendo um de ensaio, que é “Parceria escola e família”, resultado da tua formação académica onde apresentas a tese de que há formas de melhorar o relacionamento entre a escola, família e comunidade, e “A Tragédia de Morro-Leste”, um livro que fala sobre o preconceito racial, sobretudo das desigualdades sociais que se vive em Cabo Verde.

Evel Rocha nasceu na ilha do Sal, é bacharel em teologia, licenciado em Psicologia Educacional, mestre em Psicologia Counseling, pós-graduado em Desenvolvimento Local e Comunitário, e mestre em supervisão pedagógica.

SC/FP

Inforpress/Fim

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos