EUA vão doar 100 mil dólares à Cruz Vermelha para combater a insegurança alimentar no País

Cidade da Praia, 25 Jul. (Inforpress) – O Governo dos Estados Unidos da América, através da Agência para o Desenvolvimento Internacional (USAID), vai doar 100 mil dólares à Cruz Vermelha de Cabo Verde, esta semana, para fazer face aos problemas de insegurança alimentar no país.

Este donativo, de aproximadamente 10 mil contos cabo-verdianos, através da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC), tem o propósito de garantir a assistência alimentar imediata às comunidades mais vulneráveis, para fazer face aos efeitos conjugados de anos de seca e da pandemia da covid-19.

Em nota de imprensa, a Embaixada dos EUA na Cidade da Praia justifica esta doação pelo facto de “mais de 46.000 pessoas – aproximadamente 10% de toda a população de Cabo Verde – estar em risco de insegurança alimentar durante a época crítica de escassez de Junho a Agosto de 2022, mais do que o dobro do número de pessoas afectadas durante a crise de 2018”.

Ribeira Grande de Santiago e Porto Novo, na ilha de Santo Antão, são os concelhos beneficiários deste projecto que contempla assistência alimentar imediata, mediante a implementação de actividades de prevenção da desnutrição, preparação e protecção dos meios de subsistência.

O projecto tem ainda o intuito de assegurar um melhor acesso à água e sensibilização para questões de higiene e saneamento.

“O apoio dos EUA é através do projecto DREF da Cruz Vermelha de Cabo Verde, Fundo de Emergência de Resposta às Catástrofes, que visa responder às necessidades imediatas da população afectada pela seca e crises actuais de forma a reduzir a vulnerabilidade das famílias na sequência de previsões de grave insegurança alimentar e subnutrição nos próximos meses”, explica a missiva.

Os Estados Unidos, de acordo com a fonte, “estão solidários com o povo de Cabo Verde e dispostos a contribuir para a superação deste momento difícil que o país atravessa”.

“Com o efeito, especialistas da USAID em matéria de desastres, em Washington DC e na região, continuarão monitorando, de perto, as necessidades humanitárias, em coordenação com nossos parceiros no terreno”, compromete-se na nota de imprensa.

SR/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos