Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

EUA saúdam reunião sobre nuclear iraniano e admitem “medidas recíprocas”

Washington, 01 Abr (Inforpress) – Os Estados Unidos saudaram hoje o anúncio de uma reunião na sexta-feira dos países ainda membros do acordo sobre o nuclear iraniano, afirmando estarem dispostos a “medidas recíprocas” com o Irão para regressarem ao texto.

“É uma etapa positiva”, disse perante os ‘media’ o porta-voz da diplomacia norte-americana, Ned Price, acrescentando que Washington, ausente na reunião organizada sexta-feira pela União Europeia (UE), partilhou com os seus parceiros as medidas para salvar o acordo de 2015, “incluindo através de um conjunto de medidas recíprocas iniciais”.

O chefe da diplomacia da UE, Josep Borrell, anunciou hoje a organização de uma reunião da comissão mista do acordo sobre o nuclear iraniano em videoconferência para “discutir a perspectiva de um eventual regresso dos Estados Unidos”.

“A comissão mista será presidida, em nome do alto representante [o chefe da diplomacia] da UE, Josep Borrell, pelo secretário-geral adjunto e director político do Serviço europeu para a acção externa Enrique Mora e reunirá representantes da China, da França, da Alemanha, da Rússia, do Reino Unido e do Irão”, segundo um comunicado.

“Os participantes discutirão a perspectiva de um eventual regresso dos Estados Unidos ao JCPOA (o Plano de Acção conjunto Global concluído em Viena em 2015) e de forma a assegurar a aplicação completa e eficaz do acordo por todas as partes”, lê-se no documento.

Na terça-feira, o Irão indiciou que faz depender a paragem da produção de urânio enriquecido a 20% do fim de “todas as sanções” dos Estados Unidos, em resposta a uma eventual proposta de Washington de retomar as negociações sobre energia nuclear.

“O enriquecimento [de urânio] a 20% está em concordância com o artigo 36.º do JCPOA e só [pode conhecer um fim] se os Estados Unidos levantarem todas as sanções”, disse um alto responsável iraniano sob anonimato à televisão estatal de Teerão Press TV, em língua inglesa.

O JCPOA foi assinado entre o Irão e seis grandes potências – Estados Unidos, Rússia, República Popular da China, França, Reino Unidos e Alemanha) mas Washington retirou-se de forma unilateral, durante a Presidência de Donald Trump.

Biden já expressou vontade em regressar ao acordo mas com condições.

Irão começou a produzir urânio (20%) no passado mês de Janeiro, transgredindo o pacto, que estipula o máximo de pureza até 3,67% e está também a usar centrifugadoras avançadas quando o JCPOA apenas permite os equipamentos de primeira geração.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos