Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Estatuto Especial para a Cidade da Praia é um desígnio nacional – presidente da câmara

Cidade da Praia, 18 Mai (Inforpress) – O edil praiense considera um “desígnio nacional” o Estatuto Administrativo Especial da Cidade da Praia, enquanto capital da República e cartão de visita do país, quanto mais não seja uma norma constitucional aprovada há 20 anos.

Óscar Santos fez estas considerações em entrevista exclusiva à Inforpress, nas vésperas do Município da Praia celebrar o seu 161º aniversário, assinalado a 19 de Maio.

O autarca citou o artigo 10º para lembrar que se trata de uma norma constitucional aprovada em 1999 na Assembleia Nacional, pelo que entende que, passados 20 anos, já é tempo dos partidos chegarem a entendimento de que é necessário o estatuto especial para a capitalidade.

“A câmara sozinha não consegue suportar os custos, têm de ser partilhados com o governo central. Temos uma população de cerca de 170 mil habitantes. Temos uma vasta população ambulante que vem do interior e não só, tem um impacto enorme na organização da cidade e precisa que o município tenha o fôlego financeiro para poder combater todos estes desafios”, especificou.

O autarca não vê razões para “toda esta grande controversa” em aprovar o Estatuto Especial, alegando que se existem matérias em que os políticos possam divergir, seria necessário que em “questões tão essenciais para o bom funcionamento da capital do país houvesse consensos”, nesta cidade que é o cartão de visita de Cabo Verde.

“Não há que ter demagogia acerca disto”, reclamou Óscar Santos, para quem a Cidade da Praia “tem uma nova dinâmica, porque está em transformação, com mais gente, mais procura e muitos investidores interessados a investir na capital” e que “isto coloca um desafio enorme para o município”.

O edil esclareceu que “o Estatuto Especial não é só para a Praia, mas sim para Cabo Verde”, alegando que a capital tem custos e imagem que devem ser precavidos, e que a autarquia tem estado a abordar este assunto com os governantes e dirigentes políticos no sentido de sensibilizar a todos sobre a “imperiosa necessidade” de a cidade passar a ter o seu estatuto especial.

Isto porque entende que já “é hora para a aprovação do Estatuto Especial”, asseverando mesmo que a maioria esmagadora da população da Cidade da Praia está favorável a esse estatuto.

SR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos