Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Estado da Nação: JPAI considera situação dos jovens “grave” e “dramática”

Cidade da Praia, 29 Jul (Inforpress) – A JPAI considerou hoje que o estado da nação em matéria da juventude é “grave” e “dramática”, considerando que 52,5% deste seguimento da sociedade laboram no sector informal e não beneficiam da protecção social.

A constatação foi feita pelo da Juventude do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (JPAI), Fidel Cardoso de Pina, esta manhã, na Praia, durante uma conferência de imprensa, sobre o debate do último Estado da Nação desta legislatura, marcado para sexta-feira, 31 de Julho.

Para o presidente da JPAI, a pandemia da covid-19 veio complexificar ainda mais a situação difícil em que se encontrava a maior parte dos jovens antes de deflagrar a epidemia e que a promessa feita pelo Governo do MpD (poder) está muito longe de ser cumprida.

Segundo disse, a juventude continua a ser particularmente atingida pelo desemprego, e esta tendência é a prova da falácia da propaganda política de que o MPD e o seu Governo tinham encontrado a fórmula mágica para o desemprego no seio da camada jovem com formação.

Fidel Cardoso de Pina avança que o grosso da oferta de trabalho para a juventude consiste nos empregos precários, sazonais, não qualificados, informais, com baixos salários e fraca protecção social.

“O Programa Nacional de Estágios tende a substituir os empregos dignos e bem remunerados prometidos nas campanhas de 2016, por estágios com baixa remuneração e nenhuma protecção laboral e social, oferecido a jovens cujas famílias investiram numa formação técnico-profissional, superior e até altamente qualificada, na expectativa de um emprego digno e justamente remunerado”, apontou.

No seu entender, a juventude tem sido uma camada particularmente afectada pelas sucessivas crises a nível mundial e em Cabo Verde, e a pandemia da covid-19 veio complicar ainda mais a situação dos jovens que ficaram desempregados com a perda repentina de rendimentos, resultante da quase paralisação da economia.

Esses jovens, segundo o líder da JPAI, estão nos sectores de “serviços considerados não essenciais, no comércio, no turismo e entretenimento, na restauração, no alojamento, na aviação e de forma dramática no sector informal”, sendo que mais de metade dos empregos, ou seja cerca de 52.5%, é considerado como informal e não beneficiam de protecção social.

A nível da habitação, considera ser intolerável que as habitações do Programa Casa para Todos continuem fechadas com milhares de jovens ainda a viverem em situações degradantes no país.

Para JPAI, neste momento difícil, os jovens esperavam do Governo propostas para fazer face aos graves problemas que atingem a juventude cabo-verdiana e mesmo aqueles que mantiveram os seus empregos, viram os seus rendimentos reduzidos a 70% perante o sistema de Lay-Off.

“É inaceitável que a pandemia seja oportunidade para o Estado beneficiar empresários próximos do poder, em detrimento dos demais. É inaceitável que continuemos a agir como se a situação fosse de normalidade, desviando a atenção para questões que em nada contribuem para a alteração da grave e dramática situação vivenciada pelos jovens em todas as ilhas do país”, referiu.

Na ocasião, apelou ao Governo a abandonar toda a lógica de propaganda e de triunfalismos, e que dialogue com os jovens e as suas organizações representativas, oiça os seus problemas, as propostas e soluções e informe à juventude que esta afectada pelos efeitos da covid-19.

AV /JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos