Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

“Está confirmada a fraude a farsa na reunião do Conselho Nacional da UNTC-CS”, conselheiros contestatários

Cidade da Praia, 23 Nov (Inforpress) – Um grupo de conselheiros da UNTC-CS denunciou hoje a “confirmação da fraude e a grande farsa para enganar, primeiramente o juiz e o tribunal”, que ordenaram a realização da reunião do Conselho Nacional desta central sindical.

Para os contestatários, trata-se de “um crime organizado” e “uma violação das próprias leis da República” e prometem “agir de forma enérgica para que situações do tipo não voltem a acontecer”, considerando mesmo “uma vergonha, um crime aquilo que a secretária geral está a fazer na UNTC-CS”.

Esta posição foi defendida à Inforpress por um grupo de conselheiros nacionais da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS)  que abandonaram a reunião, imposta pelo Tribunal da Praia, que deu seguimento a um processo interposto por um grupo de oito sindicatos filiados nesta central sindical.

O porta-voz do grupo dos conselheiros contestatários, Eliseu Tavares, disse que a secretária geral, Joaquina Almeida, tentou ludibriar o juiz e o tribunal e passar “um atestado de menoridade” aos dirigentes sindicais e, principalmente, aos conselheiros da UNTC-CS,   e que “ela violou o despacho do juiz, de modo que, a priori, intencionalmente deixou de fora um grupo significativo de conselheiros.

O sindicalista disse que o grupo de conselheiro foi “pura, simplesmente e vergonhosamente impedido de entrar na sala da reunião e ameaçado”.

“Todos os conselheiros que não lhe são afectos e que não se revêem na péssima cartilha dela, de uma forma mágica, nenhum conseguiram entrar na plataforma da reunião, ao passo que os cinco das ilhas que estão com ela tiveram acesso a senha”, declarou.

Disse que dos sete conselheiros que aparecem à porta da reunião, apenas ele e uma que veio de Santa Catarina conseguiram entrar, mas que após notarem uma “substituição de conselheiros totalmente à margem estatutária e de forma fraudulenta”, conduzida por um pseudo presidente da mesa que declinou o direito ao voto do grupo.

A reunião do Conselho Nacional da UNTC-CS, segundo avançou Eliseu Tavares, decorre com a presença de nove conselheiros presenciais e cinco na plataforma, no universo de 35 consultores emanados pelo sétimo conselho, pelo que o grupo clama pela intervenção das autoridades competentes.   

A secretária-geral da UTCS-CS, Joaquina Almeida, prometeu pronunciar-se posteriormente à imprensa no final desta reunião do Conselho Nacional, que se realiza à porta fechada, para apresentar o resultado do encontro à comunicação social.

SR/AA

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos