ESRI recomenda uso de ferramentas do Sistema de Informação Geográfica para apoio na tomada de decisões

Cidade da Praia, 14 Nov (Inforpress) – O coordenador internacional da ESRI Portugal (Environmental Systems Research Institute), Nuno Coelho, recomendou hoje às empresas de diversas áreas em Cabo Verde, a utilização do Sistema de Informação Geográfica (SIG), como ferramentas de apoio na tomada de decisões.

Nuno Coelho falava em declarações à Inforpress à margem de um workhosp “GIS day- What´s Next”, promovido pela Esri e a Universidade de Cabo Verde, para assinalar o Dia Internacional do Sistema de Informação Geográficas.

Destinado a todas as entidades que fazem parte da gestão do território, entidades públicas e privadas, academia e público em geral, o coordenador do pólo em Cabo Verde disse que o objectivo deste workshop é explicar a essas entidades como podem tirar partido do sistema para uma acção pronta e rápida no território, para que seja possível uma melhor prevenção, actuação e mitigação de situações.

“Recomendo as empresas a arriscarem e a fazerem diferença em ter ferramentas de apoio na decisão, porque torna-se cada vez mais importante garantir tanto a transparência, como a qualidade nas decisões e com essas ferramentas têm toda a vantagem”, recomendou, assegurando que quanto mais entidades partilharem informação, mais informações terão e melhor será à decisão a tomar.

Segundo avançou, em Cabo Verde há bastantes entidades a tirar partido do SIG, e como exemplo apontou a realização do projecto Cadastro Social que foi feito pela ESRI recorrendo-se a essa tecnologia.

Entretanto, realçou que durante este seminário vão tentar passar a ideia aos alunos e aos empresários e possíveis clientes, de que o SIG “não é só pôr um ponto no mapa, mas sim é um sistema de apoio a tomada de decisão”.

“Quanto mais ferramentas tivermos e mais calibradas e com mais informação melhores as nossas tomadas de decisões. Uma das vantagens dessa tecnologia é que nos permite usar dados anteriores, fazer predição para dados futuros e perceber que impacto podem ter”, advogou.

Nuno Coelho informou que aquando da passagem do Furação Fred por Cabo Verde, os serviços da Protecção Civil recorreram ao SIG, e em 20 minutos estes tinham um conjunto de ferramentas para trabalhar no terreno, com a georreferenciação de todos os danos causados pelo furação.

Durante este workshop, o coordenador vai colocar os alunos da UNICV a fazerem um exercício prático, simulando uma passagem de um furação pela Ilha de São Vicente.

“Eles vão ter de perceber que tipo de infra-estruturas foram afectadas, quantas pessoas foram afectadas, onde realoja-lhas usando as tecnologias e com a rapidez que conseguem pôr o sistema a trabalhar para dar resposta”, explicou.

A ESRI (Environmental Systems Research Institute) é uma empresa americana especializada na produção de soluções para a área de informação geográfica, sendo líder mundial nesta área.

Foi fundada em 1969 por Jack e Laura Dangermond como uma empresa de consultoria em estudos de uso do solo.

Em Cabo Verde, a ESRI tem um pólo que também trabalha com São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau.

O primeiro GIS formal teve lugar em 1999 e o presidente e co-fundador da ESRI, Jack Dangermond, considera o dia do GIS uma boa iniciativa para as pessoas aprenderem sobre geografia e os usos do SIG

Sistema de informação geográfica é um sistema de hardware, software, informação espacial, procedimentos computacionais e recursos humanos que permite e facilita a análise, gestão ou representação do espaço e dos fenômenos que nele ocorrem.

AM/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos