Especialista guineense pede que Cabo Verde partilhe sua experiência sobre educação inclusiva

Cidade da Praia, 03 Ago (Inforpress) – O ponto focal do Centro Regional KIX África 21 para a Guiné-Bissau, Braima Mane, reconheceu hoje os avanços de Cabo Verde no campo da educação inclusiva e pediu ao arquipélago que partilhe suas experiências nesta matéria.

Braima Mane falava à imprensa, momentos antes do encerramento de um workshop de partilha de experiências e de conhecimentos para países lusófonos, que aconteceu entre segunda-feira e hoje, na cidade da Praia, contando com a participação dos membros de coordenação nacional de Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe.

“Penso que Cabo Verde está muito avançado. Nos interessou bastante a experiência de Cabo Verde. Vimos que fez muito trabalho. Pedimos que partilhe a sua experiência para que os outros países possam também seguir o mesmo caminho”, disse.

Em relação ao workshop ora findo, Braima Mane afirmou que o balanço é “muito positivo” e deu os parabéns à organização de Cabo Verde, que “conseguiu realizar um ateliê de grande qualidade num lapso de tempo”.

“Saímos daqui com resultados satisfatórios. Para além da realização de documentos, identificamos alguns temas de interesse comum que serão objecto de estudo”, continuou.

Para já, avançou, os três países pensam trabalhar, entre outros, na reforma curricular, que vai integrar a formação dos professores e introdução do digital na educação, assim como na introdução de línguas nacionais nos primeiros anos de aprendizagem.

“Haverá ainda subtemas em que entram a questão da educação inclusiva e muitos outros temas como avaliação e formação de professores”, acrescentou.

O workshop é uma continuação da acção de capacitação, iniciada em Abril do presente ano, que teve lugar em Senegal, entre as equipas de coordenação nacional, com o objectivo geral de partilhar as experiências adquiridas pelos países da sub-região com vista à sua harmonização para melhor alinhamento com o programa KIX.

O mesmo serviu ainda para identificar oportunidades e pontos fortes disponíveis nacional e multilateralmente, desenvolver três roteiros nacionais de implementação do KIX e desenvolver estratégia de (inter)aprendizagem dos três países lusófonos, parceiros do KIX.

O Centro KIX Africa 21 é liderado por um consórcio que inclui a Agência Universitária da Francofonia (AUF), a Conferência de Ministros da Educação dos Estados e Governos da Francofonia (CONFEMEN) e a Organização Internacional da Francofonia (OIF), liderado pelo Instituto de Formação e Educação da Francofonia (IFEF). O centro, acolhido pelo IFEF (Dacar), abrange 21 países, dos quais 18 francófonos e três lusófonos.

GSF/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos