Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Escritor cabo-verdiano lança “Lírios no Quintal Assombrado” no Brasil

Cidade da Praia, 27 Nov (Inforpress) – O escritor cabo-verdiano Ailton Moreira lança, em Dezembro, sua segunda obra “Lírios no Quintal Assombrado”, em Florianópolis, Santa Catarina – Brasil, um “presente de natal” antecipado aos apreciadores de poesia, escrita em tempos de um “novo normal”.

Em declarações à Inforpress, o autor começou por dizer que o livro de poesias conta com 52 poemas e com o prefácio do escritor, poeta e actual embaixador de Cabo Verde no Brasil, José Pedro D’Oliveira.

Conforme narra o autor, a obra surgiu no primeiro semestre de 2020, quando o mundo e humanidade foram “surpreendidos” pela pandemia da covid-19.

“De repente, tivemos que nos confinar nos nossos quintais, privados de convívio social. Claramente, foi algo que me afectou muito emocionalmente e porque não intelectualmente?”, questionou-se Ailton Moreira, admitindo que no início “era difícil” ter inspiração para a escrita.

“Isso porque na minha ingenuidade, eu deveria escrever sobre coisas alegres. Mas como poderia eu fazer isso se tudo ao meu redor parecia mais um fim iminente da humanidade?”, voltou a questionar-se.

Passadas as semanas “terrivelmente complicadas”, o poeta pôde se recompor e reaver o ânimo para escrever, pelo que conta, pôde ver uma “luz neste quintal assombrado” e lançou o desafio de escrever um poema por dia e assim nasceu “Lírios no Quintal Assombrado”.

A obra, segundo o escritor, traz poemas dos mais variados assuntos que de alguma forma invadiram seu imaginário poético durante o surgimento do “novo normal”.

“Apesar de muito ter sido dito que se tratava de um “novo normal”, não deixamos de ver antigos maus hábitos sendo aguçados: negros sendo mortos pelo preconceito, políticos desviando recursos que poderiam salvar vidas, discursos xenofónicos, homofóbicos e tantas outras questões político-sociais que ocorrem em Cabo Verde, Brasil e mundo a fora”, observou.

O livro, conforme elucidou, está associado aos factos ocorridos na pandemia, mas, não se prende a ela, sendo mais uma espécie de diário onde o autor confidencia suas emoções e tenta inspirar os outros a acreditarem que “mesmo debaixo das sombras, não se deve desistir de buscar a luz e deixar florir os lírios que coabitam o quintal de nossas vidas”.

Ailton Moreira informa que o livro já está em pré-venda pelo ‘site’ da Editora Viseu, parceira da obra e no formato E-book que está a ser comercializado na Amazon, Apple, Barnes & Noble (EUA), Google, Kobo, Livraria Cultura e Wook (Portugal).

Salientou que está com expectativas “muito boas”, e espera ser novamente “abraçado” pelos leitores de vários cantos do mundo, especialmente os que residem no Brasil.

“Espero ser abraçado assim como fui abraçado no livro “Pingu di Speransa”, um livro em crioulo cabo-verdiano lançado num país de língua portuguesa”, almejou o poeta.

TC/CP

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos