Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

ENTREVISTA/Sal: “Câmara tem merecido uma avaliação positiva da população” – presidente da autarquia (c/áudio)

Espargos, 07 Nov Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Sal, Júlio Lopes, declarou hoje que a administração camarária tem merecido uma “avaliação positiva” da população “a todos os níveis de actuação”.

Júlio Lopes fez essas considerações em entrevista à Inforpress, a propósito dos três anos de mandato, completados em Outubro último.

Considerando não ser correcto fazer a avaliação do seu próprio trabalho, o autarca reiterou, entretanto, que há uma “opinião unânime, muito favorável”, dos munícipes salenses em relação à actuação camarária, a todos os níveis, nestes três anos de mandato.

“Ao nível da requalificação urbana, juventude, desporto, cultura, ao nível da habitação, enfim, todos os domínios da câmara municipal têm merecido uma avaliação positiva da população. Isto é que interessa”, assegurou.

Questionado sobre qual seria o “calcanhar de Aquiles” da Câmara Municipal do Sal, indicou que tem a ver com a questão de organização e disciplina, e o cumprimento das posturas municipais, já que, conforme disse, impor ordem e estabelecer a disciplina “não é coisa fácil”.

“Implica sempre alternativas. A questão da venda nas ruas, por exemplo, (…) não tínhamos alternativas. Mas agora sim, inauguramos o grande mercado da cidade de Espargos e estaremos em condições de proibir a venda na rua para que, de facto, tenhamos as nossas cidades mais bonitas”, disse.

“Estradas para os carros, passeios para os peões, e as vendas nos mercados e nos lugares adequados”, reforçou.

Sobre a situação do Pontão de Santa Maria, Júlio Lopes assegurou que se está no processo de sua requalificação e reorganização,  com destaque para os módulos de casa de banho, saneamento, segurança, o estabelecimento da plataforma para o tratamento do peixe, para disciplina e o processamento do pescado.

“As obras estão em curso, há uma empresa contratada para o efeito. Feitos esses trabalhos, nós temos que ser rigorosos”, concretizou, destacando, por outro lado, a “resolução” do problema de recolha do  lixo na ilha.

“Com o investimento elevadíssimo em novos camiões (…), a recolha do lixo está aceitável, e estamos a remover os entulhos. Entretanto, há indivíduos que vão com as suas carrinhas deitar entulhos em lugares não apropriados. Mas agora vamos agir com dureza”, avisou o autarca.

Quanto à realização de obras sem autorização da câmara, Júlio Lopes vai alertando, também, que “não haverá meias medidas”, partindo-se para a demolição.

“Nós agora vamos ser mais exigentes no que diz respeito ao cumprimento das regras. Todos aqueles que falharem serão penalizados”, disse, apelando às pessoas para cumprirem as regras e respeitarem as posturas municipais.

“Porque nós vamos ter tolerância zero para aqueles que não cumprirem”, frisou.

Falando das prioridades, nesta caminhada de três anos de trabalho, Júlio Lopes reiterou que as três grandes apostas prenderam-se com a juventude, a requalificação urbana e a habitação.

“A nível de requalificação veja o que já fizemos em Santa Maria, pedonal, requalificação do Pontão, calçadão, bairro António Sousa, e Norte de Santa Maria”, indicou.

Nos Espargos, continuou, os bairros da cidade estão a ser objecto de pavimentação, espaços verdes, construção de praças, parques infantis, fitness parque e street basquete, enumerou.

Neste particular, e para ser mais explícito, indicou que foram adquiridos 12 parques infantis, dez fitness parque e 18 street basquete, a serem instalados em “todos os bairros e localidades” da ilha.

Quanto às localidades de Pedra de Lume e Palmeira/Fonte Riba disse que também decorrem trabalhos naquelas regiões, destacando a obra de requalificação da orla marítima da Palmeira.

Considerando tudo o que foi feito e vai-se fazendo a nível da juventude, da habitação e outras áreas, e, ao mesmo tempo, com o aumento demográfico, Júlio Lopes acentuou que “agora tudo no Sal é feito de forma planificada”.

“Já temos o ‘master plan’ da futura centralidade da zona de Fátima, estamos a preparar a expansão da cidade de Espargos, já temos de Santa Maria, e estamos a preparar o plano de expansão da Praia de Net”, anunciou.

Ou seja, finalizou, tudo para perspectivar e dar respostas às demandas futuras para que o Sal “não tenha problemas de habitação nos próximos dez anos”.

“Estamos a trabalhar com uma visão de longo prazo para que o que aconteceu no Sal não volte a acontecer, em termos das barracas e de pessoas a viverem em péssimas condições”, sintetizou.

SC/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos