Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ensino: Ribeira da Barca leciona 7º ano pela primeira vez e pensa estende-lo até 10º nos anos seguintes

 

Assomada, 15 Set (Inforpress) – O agrupamento escolar da vila de Ribeira da Barca, no município de Santa Catarina (Santiago) recebe este ano lectivo, pela primeira vez, o 7.º ano, e perspectiva-se em alarga-lo até 10º ano de escolaridade nos próximos anos lectivos.

A intenção foi manifestada em declarações à Inforpress, pelo director do agrupamento de Ribeira da Barca, Osvaldino da Moura, da qual fazem parte as escolas de Charco e Achada Leite, lembrando que o alargamento do ensino obrigatório de 7º e 8º ano é um desejo antigo desta escola.

É que segundo este responsável, têm “todas as condições” para tal, quer a nível de infraestruturas e corpo docente, sustentando que o mesmo vai ser “paulatinamente”, ou seja, a ideia é dar continuidade com os alunos do 7º ano.

O director do agrupamento destacou inúmeras vantagens deste alargamento do 7º ao 10.º de escolaridade na localidade, apontado proximidades das localidades, diminuição de custos para os pais, no que tange a transportes, por ser o único agrupamento que não necessita de transporte para deslocação.

Já no que diz respeito às disciplinas, com excepção de Matemática e Educação Física onde têm professores próprios, vão contar com docentes para outras disciplinas de 7º ano do agrupamento que tem como centro a Escola Secundária Armando Napoleão Fernandes.

O agrupamento que tem 20 professores, oito salas de aulas em Ribeira da Barca e duas cada em Charco e Achada Leite, no dizer de Osvaldino da Moura vai ter todas as condições para ter o seu próprio staff de professores, com solicitação de professores de línguas.

“No próximo ano lectivo, contamos poder ter todos os professores do agrupamento e não do Armando Napoleão Fernandes”, acrescentou, justificando que vão ter no próximo ano duas turmas de 5.º, 6.º, 7.º e 8º, que vão completar o tempo lectivo.

Garantiu que o novo ano lectivo em Ribeira da Barca vai iniciar “sem constrangimentos”, e que têm já tudo a postos, desde equipamentos, docentes e espaços físicos para acolher o 7ºano pela primeira vez, havendo já garantias de construção de mais duas salas de aulas em 2018.

Como novidade vão arrancar com duas turmas de 7º ano e duas de 5º, e outras classes que não estão contempladas na nova reforma curricular, vão funcionar no “modelo antigo” com pluri-docência.

O director, explicou, por outro lado, que o novo modelo do sistema educativo a ser implementado este ano lectivo em todo o país, não traz “grandes novidades” para esta escola, tendo em conta que desde as reformas dos anos 90, nas localidades de Charco e Achada Leite leciona-se de 1º a 4º ano e que os alunos do 5º deslocam-se para o actual agrupamento de Ribeira da Barca.

Relativamente às novas Tecnologias de Informação (TIC) que também não são novidade para esta escola, assegurou que vão funcionar de forma normal de 1º a 7º, sendo coadjuvado com mais um professor do agrupamento de Armando Napoleão Fernandes no 5º e 7.º.

Apesar de terem espaço físico, fez saber que precisam renovar o parque informático existente a mais de 10 anos.

Questionado se não houve “ruído” por parte dos pais em relação ao alargamento do 7º ano neste agrupamento, disse que não têm quais dificuldades nesse aspecto, porque já tinham socializado esta questão com os pais e encarregados de educação, mostrando-lhes as vantagens desta implementação na comunidade.

O agrupamento de Ribeira da Barca, da qual fazem parte escolas de Charco (2 salas) e Achada Leite (2 salas) com turmas compostas de 1º a 4º ano, tem mais oito salas de aulas em Ribeira da Barca formadas por turmas simples, que vão funcionar de manhã e a tarde.

Para este novo ano lectivo vão arrancar com mais de 400 alunos de 1º a 7º anos de escolaridade.

A escola vai continuar a fornecer o lanche aos alunos de 1º a 6º, com perspectivas de alargar também ao 7º ano, além de apoiar com materiais escolares os alunos mais carenciados.

FM/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos